Product SiteDocumentation Site

15.2. Construindo seu Primeiro Pacote

15.2.1. Meta-pacotes ou Falsos Pacotes

Pacotes falsos e meta-pacotes são similares, ambos são caixas vazias que existem apenas pelo efeito que seus metadados fazem na pilha de gerenciamento de pacotes.
O propósito de um pacote falso é enganar o dpkg e o apt para acreditarem que algum pacote está instalado mesmo que em realidade seja apenas uma caixa vazia. Isto permite satisfazer dependências num pacote quando o programa correspondente foi instalado fora do escopo do sistema de pacotes. Este método funciona, porém deve mesmo assim ser evitado sempre que possível, já que não existem garantias de que o programa instalado manualmente se comportará exatamente como o pacote correspondente faria e outros pacotes dependentes dele podem não funcionar corretamente.
De outra maneira, um meta-pacote existe em sua maioria como uma coleção de dependências, então instalando um meta-pacote na verdade trará um conjunto de pacotes em um único passo.
Ambos os tipos de pacotes podem ser criados pelos comandos equivs-control e equivs-build (do pacote equivs package). O comando equivs-control arquivo cria um arquivo de cabeçalho de pacotes Debian que deve ser editado para conter o nome do pacote desejado, seu número de versão, o nome do mantenedor, suas dependências e sua descrição. Outros campos, sem um valor padrão são opcionais e podem ser excluídos. Os campos Copyright, Changelog, Readme e Extra-Files não são campos padrões nos pacotes Debian; eles só fazem sentido no âmbito da equivs-build, e eles não serão mantidos nos cabeçalhos do pacote gerados.

Exemplo 15.2. Cabeçalho do pacote falso libxml-libxml-perl

Section: perl
Priority: optional
Standards-Version: 3.9.6

Package: libxml-libxml-perl
Version: 2.0.116-1
Maintainer: Raphael Hertzog <hertzog@debian.org>
Depends: libxml2 (>= 2.7.4)
Architecture: all
Description: Fake package - módulo instalado manualmente em site_perl
  Este é um pacote falso para deixar o sistema de empacotamento
  acreditando que este pacote Debian está instalado.
 .
Na verdade, o pacote não está instalado desde uma versão mais recente
  do módulo que foi manualmente compilada & instalada no
  diretório site_perl.
O próximo passo é gerar o pacote Debian com o comando equivs-build arquivo. Voilà: o pacote foi criado no diretório atual e pode ser manejado como qualquer outro pacote Debian seria.

15.2.2. Depósito Simples de Arquivos

Os administradores da Falcot Corp precisam criar um pacote Debian para facilitar a instalação de um conjunto de documentos em um grande número de máquina. O administrador responsável por essa tarefa primeiramente lê o “New Maintainer's Guide”, e então começa a trabalhar no seu primeiro pacote.
O primeiro passo é criar um diretório falcot-data-1.0 que conterá o pacote fonte. O pacote irá logicamente, ser chamado falcot-data e terá o número de versão 1.0. O administrador então coloca os documentos em um subdiretório data. Então ele chama o comando dh_make (do pacote dh-make) para adicionar os arquivos necessários para o processo de criação do pacote, o qual será armazenado em um subdiretório debian:
$ cd falcot-data-1.0
$ dh_make --native

Type of package: único binário, binário indep, binário múltiplo, biblioteca, módulo do kernel, patch para o kernel?
Type of package: single binary, indep binary, multiple binary, library, kernel module, kernel patch or cdbs?
 [s/i/m/l/k/n] i
Maintainer name : Raphael Hertzog
Email-Address   : hertzog@debian.org
Date            : Fri, 04 Sep 2015 12:09:39 -0400
Package Name    : falcot-data
Version         : 1.0
License         : gpl3
Type of Package : Independente
Pressione <enter> para confirmar:
Atualmente não há nível superior Makefile. Isto pode exigir um ajuste adicional.
Feito. Por favor, edite os arquivos no agora debian/subdiretório. Você também deve
verificar se o instalador falcot-data Makefiles  em $DESTDIR e não em /.
$
O tipo de pacote escolhido (indep binary) indica que este pacote fonte irá gerar um único pacote binário que pode ser compartilhado entre todas as arquiteturas (Arquitetura: all). single binary atua como contraparte, e leva a um único pacote binário que é dependente da arquitetura alvo ( Arquiitetura: any). Neste caso, a primeira escolha é mais relevante uma vez que o pacote contém apenas os documentos e não programas binários, para que possa ser usado de forma semelhante em computadores de todas arquiteturas.
O tipo múltiplo binário corresponde a um pacote fonte levando a vários pacotes binários. Um caso particular, biblioteca, é útil para bibliotecas compartilhadas, uma vez que precisa seguir regras rígidas do empacotamento. De forma semelhante, módulo do kernel ou kernel patch devem ser restritos aos pacotes contendo módulos do kernel.
O comando dh_make criou uma pasta debian com muitos arquivos. Alguns são necessários, em particular rules, control, changelog e copyright. Arquivos com extensão ex são exemplos de arquivos que podem ser utilizados, modificando-os (e removendo a extensão), se for o caso. Quando eles não são necessários, entao é recomendado removê-los. O arquivo compat deve ser mantido, uma vez que é necessário para o funcionamento correto do conjunto de programas debhelper (todos começando com o prefixo dh_) utilizado em diferentes estágios do pacote do processo de construção.
O arquivo de direitos autorais deve conter informações sobre os autores dos documentos incluídos no pacote, e as licenças relacionadas. No nosso caso, estes são documentos internos e sua utilização é limitada para dentro da empresa Corp Falcot. O padrão changelog é geralmente apropriado; substituir o "lançamento inicial" com uma explicação mais detalhada e alterar da distribuição instável para interna é suficiente . O arquivo control também foi atualizado: o campo Section foi alterada para misc e os campos Homepage, Vcs-Git e Vcs-Browser foram removidos. O campo Depends foi completado com iceweasel | www-browser, de modo a assegurar a disponibilidade de um navegador web capaz de exibir os documentos contidos no pacote.

Exemplo 15.3. O arquivo control

Source: falcot-data
Section: misc
Priority: optional
Maintainer: Raphael Hertzog <hertzog@debian.org>
Build-Depends: debhelper (>= 9)
Standards-Version: 3.9.5

Package: falcot-data
Architecture: all
Depends: iceweasel | www-browser, ${misc:Depends}
Description: Internal Falcot Corp Documentation
 This package provides several documents describing the internal
 structure at Falcot Corp.  This includes:
  - organization diagram
  - contacts for each department.
 .
 These documents MUST NOT leave the company.
 Their use is INTERNAL ONLY.

Exemplo 15.4. O arquivo changelog

falcot-data (1.0) internal; urgency=low

  * Initial Release.
  * Let's start with few documents:
    - internal company structure;
    - contacts for each department.

 -- Raphael Hertzog <hertzog@debian.org>  Fri, 04 Sep 2015 12:09:39 -0400

Exemplo 15.5. O arquivo copyright

Format: http://www.debian.org/doc/packaging-manuals/copyright-format/1.0/
Upstream-Name: falcot-data

Files: *
Copyright: 2004-2015 Falcot Corp
License: 
 All rights reserved.
O arquivo rules geralmente contém um conjunto de regras usado para configurar, construir e instalar o software em um subdiretório específico (nomeado após a geração do pacote binário). O conteúdo desta pasta é depois arquivado dentro do pacote Debian, como se fosse a raiz do sistema de arquivos. No nosso caso, os arquivos serão instalados na pasta debian/falcot-data/usr/share/falcot-data/, para que a instalação do pacote gerado irá implantar os arquivos em /usr/share/falcot-data/. O arquivo rules é utilizado como um Makefile, com alguns objetivos padrões (incluindoclean e binary, utilizados, respectivamente, para limpar a pasta de origem e gerar o pacote binário).
Embora esse arquivo seja o coração do processo, cada vez mais ele contém somente a informação mínima para executar um conjunto padrão de comandos provido pela ferramenta debhelper. Tal é o cado dos arquivos gerados pelo dh_make. Para instalar nossos arquivos, nós simplesmente configuramos o comportamento do comando dh_install criando o seguinte arquivo debian/falcot-data.install:
data/* usr/share/falcot-data/
Neste ponto, o pacote pode ser criado. Nós no entanto vamos adicionar um toque especial. Já que os administradores querem que os documentos sejam facilmente acessador a partir dos menus dos ambientes de trabalho gráficos, nós adicionamos um arquivo falcot-data.desktop e o instalaremos em /usr/share/applications através da adição de uma segunda linha em debian/falcot-data.install.

Exemplo 15.6. O arquivo falcot-data.desktop

[Desktop Entry]
Name=Internal Falcot Corp Documentation
Comment=Starts a browser to read the documentation
Exec=x-www-browser /usr/share/falcot-data/index.html
Terminal=false
Type=Application
Categories=Documentation;
O debian/falcot-data.install atualizado se parece com isso:
data/* usr/share/falcot-data/
falcot-data.desktop usr/share/applications/
Nosso pacote fonte está pronto. Tudo o que sobrou fazer é gerar um pacote binário, com o mesmo método que usamos anteriormente para construir pacotes: executamos o comando dpkg-buildpackage -us -uc de dentro do diretório falcot-data-1.0.