Product SiteDocumentation Site

Capítulo 7. Resolvendo Problemas e Encontrando Informações Relevantes

7.1. Fontes de documentação
7.1.1. Páginas de Manual
7.1.2. Documentos de info
7.1.3. Documentação Específica
7.1.4. Paginas da Internet
7.1.5. Tutoriais (HOWTO)
7.2. Procedimentos comuns
7.2.1. Configurando um Programa
7.2.2. Monitorando o que o Daemons esta fazendo
7.2.3. Pedindo ajuda em uma lista
7.2.4. Reportando um Bug Quando um Problema É Muito Dificil
Para um administrador, a habilidade mais importante é ser capaz de lidar com qualquer situação, conhecida ou desconhecida. Este capítulo apresenta uma série de métodos que - esperamos - permitam isolar a causa de qualquer problema que você vai encontrar, de modo que você pode ser capaz de resolvê-los.

7.1. Fontes de documentação

Antes que você possa entender o que está realmente acontecendo quando há um problema, você precisa conhecer o papel teórico desempenhado por cada programa envolvido no problema. Para fazer isso, a melhor coisa a fazer é consultar a documentação; mas uma vez que estes documentos são muitos e dispersos, você deve conhecer todos os lugares onde podem ser encontrados.

7.1.1. Páginas de Manual

Páginas de manual, apesar de relativamente concisas em estilo, contêm uma grande quantidade de informações essenciais. Vamos rapidamente passar pelos comandos para visualizá-los. Basta digitar man manual-page - a página do manual normalmente atende pelo mesmo nome que o comando cuja documentação é solicitada. Por exemplo, para aprender sobre as opções possíveis para o comando cp, você deve digitar man cp no prompt do shell (veja barra lateral DE VOLTA AO BÁSICO O shell, um interpretador de linha de comando).
Páginas man não apenas documentam programas acessíveis a partir da linha de comando, mas também arquivos de configuração, chamadas de sistema, funções de biblioteca C, e assim por diante. Às vezes os nomes podem colidir. Por exemplo, o comando read do shell tem o mesmo nome que a chamada de sistema read. É por isso que as páginas de manual são organizadas em seções numeradas:
  1. comandos que podem ser executados da linha de comando;
  2. chamadas de sistema (funções disponibilizadas pelo kernel);
  3. funções da biblioteca (fornecidas pelas bibliotecas do sistema);
  4. dispositivos (em sistemas similares ao Unix, estes são arquivos especiais, geralmente colocados no diretório /dev/);
  5. arquivos de configuração (formatos e convenções)
  6. jogos;
  7. conjunto de macros e padrões
  8. comandos de administração do sistema;
  9. rotinas do núcleo.
É possível especificar a seção da página do manual que você está procurando: para ver a documentação para o chamada de sistema read, você deve digitar man 2 read. Quando a seção não é especificada explicitamente, a primeira seção que tiver uma página de manual com o nome solicitado será mostrada. Assim, man shadow retorna shadow(5) porque não há páginas de manual para shadow nas seções de 1 a 4.
obviamente que se você não sabe os nomes dos comandos, o manual não vai ser de muita utilidade para você. Este é o propósito do comando apropos, o que ajuda você a realizar uma busca nas páginas de manual, ou mais especificamente em suas descrições curtas. Cada página do manual começa essencialmente com um resumo de uma linha. apropos retorna uma lista de páginas de manual que mencionam a(s) palavra(s)-chave solicitada(s). Se você escolher bem, você encontrará o nome do comando que você precisa.

Exemplo 7.1. Procurando cp com apropos

$ apropos "copy file"
cp (1)               - copy files and directories
cpio (1)             - copy files to and from archives
gvfs-copy (1)        - Copy files
gvfs-move (1)        - Copy files
hcopy (1)            - copy files from or to an HFS volume
install (1)          - copy files and set attributes
ntfscp (8)           - copy file to an NTFS volume.
O comando man não é o único meio de consulta às páginas do manual, já que os programas konqueror (no KDE) e yelp (no GNOME) também oferecem essa possibilidade. Há também uma interface web, fornecida pelo pacote man2html, que permite visualizar páginas de manual em um navegador web. Em um computador onde esse pacote está instalado, use esta URL:
Este utilitário requer um servidor web. É por isso que você deve optar por instalar este pacote em um dos servidores: todos os usuários da rede local poderão se beneficiar deste serviço (incluindo máquinas não-Linux), e isso permitirá que você não configure um servidor HTTP em cada estação de trabalho. Se o seu servidor também é acessível a partir de outras redes, pode ser desejável restringir o acesso a este serviço apenas para usuários da rede local.

7.1.2. Documentos de info

O projeto GNU escreveu manuais para a maioria de seus programas no formato info; é por isso que muitas páginas do manual referem-se à documentação info correspondente. Esse formato oferece algumas vantagens, mas o programa padrão para ver estes documentos (chamado info) é também um pouco mais complexo. Esteja você aconselhado a usar o pinfo em seu lugar (do pacote pinfo).
A documentação info tem uma estrutura hierárquica, e se você invocar pinfo sem parâmetros, ele irá mostrar uma lista de nós disponíveis no primeiro nível. Normalmente, os nós levam o nome dos comandos correspondentes.
Com o pinfo a navegação por esses nós é facilmente feita através das teclas de seta. Alternativamente, você também pode usar um navegador gráfico, que é muito mais amigável com o usuário. Mais uma vez, o konqueror e o yelp funcionam; o info2www também fornece uma interface web.
Observe que o sistema info não é adequado para tradução, ao contrário do Sistema de página man. Documentos info são, portanto, quase sempre em Inglês. No entanto, quando você pedir ao sistema pinfo para exibir uma página info inexistente, ele retornará a página man com o mesmo nome (se existir), que pode estar traduzida.

7.1.3. Documentação Específica

Cada pacote inclui a sua própria documentação. Mesmo os programas mais mal documentados costumam ter um arquivo README que contém algumas informações interessantes e/ou importantes. Esta documentação está instalada no diretório /usr/share/doc/pacote/ (onde pacote é o nome do pacote). Se a documentação é particularmente grande, não pode ser incluída no pacote principal do programa, mas pode ser transferida para um pacote dedicado que normalmente é chamado pacote-doc. O pacote principal geralmente recomenda o pacote de documentação para que você possa encontrá-lo facilmente.
O diretório /usr/share/doc/package/ também contém alguns arquivos fornecidos pelo Debian que completam a documentação especificando as particularidades do pacote ou melhorias em relação a uma instalação tradicional do software. O arquivo README.Debian também indica todas as adaptações que foram feitas para cumprir com a política Debian. O arquivo changelog.Debian.gz permite ao usuário acompanhar as modificações feitas no pacote ao longo do tempo: é muito útil para tentar entender o que mudou entre as duas versões instaladas que não têm o mesmo comportamento. Finalmente, às vezes existe um arquivo NEWS.Debian.gz que documenta as maiores mudanças no programa que pode diretamente se referir ao administrador.

7.1.4. Paginas da Internet

Na maioria dos casos, os programas de software livre têm sites web que são usados para distribuir os programas e para reunir a comunidade de seus desenvolvedores e usuários. Estes sites são freqüentemente carregados com informação relevante de várias formas: a documentação oficial, FAQ (Frequently Asked Questions - Perguntas mais frequentes), arquivos de listas de discussão, etc. Os problemas que você pode estar tendo já podem ter sido o tema de muitas perguntas; arquivos FAQ ou listas de discussão podem ter uma solução para ele. Um bom domínio dos motores de busca provou ser imensamente valioso para encontrar páginas relevantes rapidamente (restringindo a busca ao domínio da Internet ou sub-domínio dedicado ao programa). Se a pesquisa retornar muitas páginas ou se os resultados não corresponderem ao que você procura, você pode adicionar a palavra-chave debian para limitar os resultados e focar nas informações relevantes.
Se você não sabe o endereço para o site do software, existem vários meios de consegui-lo. Primeiro, verifique se existe um campo Homepage no pacote da meta-informação (apt-cache show pacote). Alternativamente, a descrição do pacote pode conter um link para o site oficial do programa. Se nenhuma URL for indicada, olhe em /usr/share/doc/pacote/copyright. O mantenedor do Debian geralmente indica neste arquivo de onde ele pegou o código-fonte do programa, e este é provavelmente o site que você precisa encontrar. Se nesta fase a sua pesquisa ainda é infrutífera, consulte um diretório de software livre, como o Diretório de Software Livre da FSF, ou procure diretamente com um motor de busca, como Google, DuckDuckGo, Yahoo, etc.
Você também pode querer verificar o wiki Debian, um site colaborativo onde qualquer pessoa, mesmo os simples visitantes, podem fazer sugestões diretamente dos seus navegadores. É utilizado igualmente pelos desenvolvedores, de modo a projetar e especificar seus projetos, e pelos usuários que compartilham seu conhecimento escrevendo documentos de forma colaborativa.

7.1.5. Tutoriais (HOWTO)

Um howto é um documento que descreve, em termos concretos e passo a passo, como atingir uma meta pré-definida. Os objetivos cobertos são relativamente variados, mas muitas vezes de natureza técnica: por exemplo, a criação de mascara IP, configuração do software RAID, a instalação de um servidor Samba, etc. Estes documentos geralmente tentam cobrir todos os potenciais problemas susceptíveis de ocorrer durante a execução de uma determinada tecnologia.
Muitos desses tutoriais são gerenciados pelo Projeto de Documentação do Linux (LDP), cujo site web hospeda todos estes documentos:
Esses documentos devem ser tomados com um grão de sal. Elas são velhos, a informação que eles contêm é muito obsoleta. Este fenômeno é ainda mais freqüente para as suas traduções, uma vez que as atualizações não são nem sistemáticas nem um instante após a publicação de uma nova versão dos documentos originais. Isso faz parte da alegria de trabalhar em um ambiente de voluntariado e sem restrições…