3.5. Pré-Particionamento para sistemas Multi-Boot

Particionar o seu disco rígido refere-se simplesmente ao acto de dividir o seu disco em secções. Cada secção é então independente das outras. É de certa forma equivalente a pôr paredes dentro de uma casa; se colocar mobília num quarto não afecta qualquer outro quarto.

Se você já tem um sistema operativo no seu sistema (Tru64 (Digital UNIX), OpenVMS, Windows NT, FreeBSD, …) e quiser colocar Linux no mesmo disco, vai necessitar de reparticionar o disco. Debian necessita das suas próprias partições no disco rígido. Não pode ser instalado em partições Windows ou MacOS. Pode ser possível partilhar algumas partições com outros sistemas Linux, mas isso não é coberto aqui. No mínimo necessita de uma partição dedicada para a raiz de Debian.

Você pode encontrar informação acerca da sua configuração actual de partições utilizando uma ferramenta de particionamento para o seu actual sistema operativo, . As ferramentas de particionamento têm sempre uma forma de mostrar as partições actuais sem efectuar alterações.

Regra geral, alterar uma partição já com um sistema de ficheiros nela irá destruir essa informação. Por isso deve sempre salvaguardar os seus dados antes de efectuar qualquer reparticionamento. Utilizando a analogia da casa, você provavelmente quer mover toda a mobília para fora do caminho antes de mudar uma parede, ou arrisca-se a destruí-la.

Se o seu computador tem mais de um disco rígido, você pode querer dedicar um dos discos inteiramente a Debian. Se o fizer não necessita de particionar esse disco antes de iniciar o sistema de instalação; o programa de particionamento incluído no instalador pode lidar facilmente com essa tarefa.

Se a sua máquina tem apenas um disco rígido, e se desejar substituir completamente o sistema operativo actual por Debian GNU/Linux, pode também esperar para particionar como parte do processo de instalação (Secção 6.3.2.1, “Particionar os Seus Discos”), após ter arrancado com o sistema de instalação. No entanto isto só funciona se planear iniciar o instalador a partir de tapes, CD-ROM ou ficheiros numa máquina ligada. Considere: se iniciar a partir de ficheiros no disco rígido, e se depois particionar esse mesmo disco dentro do sistema de instalação, e apagar os ficheiros para arranque, é melhor esperar que a instalação tenha sucesso à primeira vez. Neste caso, no mínimo, você deve ter meios alternativos de recuperar a sua máquina tal como os CDs ou tapes originais de instalação.

Se a sua máquina já tem múltiplas partições, e pode ser disponibilizado espaço livre suficiente apagando e substituindo uma ou mais dessas, desse modo pode também esperar e utilizar o programa de particionamento do instalador de Debian. Você deve na mesma continuar a ler o material abaixo, porque podem ocorrer circunstâncias especiais tal como a ordem das partições existentes dentro do mapa de partições, que o obriguem a particionar antes de instalar.

Se não for aplicável nenhum dos acima, você vai necessitar de particionar o seu disco rígido antes de começar a instalação para criar espaço particionável para Debian. Se algumas das partições pertencerem a outros sistemas operativos, você deve criar essas partições utilizando os programas nativos desses sistemas operativos. Nós recomendamos que você NÃO tente criar partições para Debian GNU/Linux utilizando utilitários de outro sistema operativo. Em vez disso, você deve apenas criar as partições do sistema operativo nativo com que deseja ficar.

Se vai instalar mais do que um sistema operativo na mesma máquina, Você deve instalar todos os outros sistemas operativos antes de proceder com a instalação de Linux. As instalações de Windows e de outros SO podem tirar a possibilidade de iniciar Linux, ou encorajá-lo a reformatar as partições não-nativas.

Você pode recuperar destas acções ou evitá-las, mas instalar primeiro o sistema operativo nativo poupa-lhe trabalho.

Se actualmente tem um disco rígido com uma partição (uma configuração usual para computadores desktop), e deseja ter multi-boot entre o sistema operativo nativo e Debian, você necessita de:

  1. Salvaguardar tudo no computador.

  2. Iniciar a partir do meio do instalador do sistema operativo nativo tal como CD-ROM ou tapes.

  3. Utilizar as ferramentas de particionamento nativas para criar partições para o sistema nativo. Deixe uma partição para marcar o espaço ou espaço livre para Debian GNU/Linux.

  4. Instalar o sistema operativo nativo na sua nova partição.

  5. Arrancar de novo para o sistema nativo para verificar que está tudo OK, e fazer o download dos ficheiros de arranque do instalador de Debian.

  6. Arrancar com o instalador de Debian para continuar a instalação de Debian.

3.5.1. Particionamento em Tru64 UNIX

Tru64 UNIX, antigamente conhecido como Digital UNIX, que era conhecido como OSF/1, utiliza um esquema de particionamento similar ao “disk label” de BSD, que permite até oito partições por disco. As partições são numeradas de “1” até “8” em Linux e com as letras de “a” até “h” em UNIX. Os kernel Linux 2.2 ou posteriores fazem sempre corresponder “1” a “a”, “2” a “b” e assim sucessivamente. Por exemplo, em Tru64 UNIX rz0e deverá ser chamado de sda5 em Linux.

As partições num disk label de Tru64 podem sobrepor-se. E mais, se este disco for utilizado em Tru64, a partição “c” envolve todo o disco (e assim sobrepõe-se a todas as outras partições que não estejam vazias.). Em Linux isto torna sda3 idêntico a sda (sdb3 a sdb, se estiverem presentes, assim sucessivamente.). No entanto, o utilitário de particionamento partman utilizado pelo debian-installer de momento não pode lidar com partições que se sobrepõem. Como resultado, não é recomendado partilhar discos entre Tru64 e Debian. As partições em True64 podem ser montadas em Debian após a instalação ser completada.

Outra necessidade convencional é que a partição “a” comece no início do disco, de modo a incluir sempre o bloco de arranque com a disk label. Se pretende iniciar Debian a partir desse disco, tem de lhe dar um tamanho de pelo menos 2MB para que o aboot caiba e talvez o kernel. Note que esta partição só é necessária para compatibilidade; você não pode criar lá um sistema de ficheiros, ou irá destruir os dados.

É possível, e na verdade bastante razoável, partilhar uma partição swap entre Linux e UNIX. Neste caso irá necessitar de fazer mkswap nessa partição cada vez que o sistema reinicie de UNIX para Linux, porque UNIX irá danificar a assinatura de swap. Você pode querer correr mkswap a partir dos scripts de arranque de Linux antes de adicionar o espaço swap com swapon -a.

Se desejar montar partições UNIX em Linux, note que Digital UNIX pode utilizar dois tipos de sistemas de ficheiros, UFS e AdvFS, dos quais Linux apenas conhece o anterior.

3.5.2. Particionamento em Windows NT

O Windows NT utiliza uma tabela de partições do tipo PC. Se está a manipular partições FAT ou NTFS existentes, é recomendado que utilize as ferramentas nativas de Windows NT (ou, mais convenientemente, também pode reparticionar o seu disco a partir do menu de configuração AlphaBIOS). Caso contrário, não é realmente necessário reparticionar a partir do Windows; geralmente os utilitários de particionamento de Linux fazem um melhor trabalho. Note que quando corre NT, o Disk Administrator pode oferecer-se para escrever uma “assinatura inofensiva” em discos que não tenham Windows, se você possuir algum. Nunca permita ele faça isso, já que esta assinatura irá destruir a informação da partição.

Se você planeia iniciar Linux a partir de uma consola ARC/AlphaBIOS/ARCSBIOS, você vai necessitar de uma (pequena) partição para o MILO. 5 MB é suficiente. Se o Windows NT estiver instalado, a sua partição de bootstrap com 6 MB pode ser utilizada para esse efeito. Debian etch não suporta a instalação do MILO. Se já tem o MILO instalado no seu sistema, ou instalar o MILO a partir de outro meio, Debian ainda pode ser iniciado a partir de ARC.