5.2. Parâmetros de Inicialização

Os parâmetros de inicialização são parâmetros passados ao kernel do Linux que são geralmente usados para fazer que os periféricos funcionem adequadamente. Para a maior parte, o kernel poderá auto-detectar informações sobre seus periféricos. No entanto, em alguns casos você terá que ajudar um pouco o kernel.

Se esta for a primeira vez que iniciou o sistema, tente os parâmetros padrões de inicialização (i.e., não passe parâmetros) e veja se o sistema funciona corretamente. Ele provavelmente funcionará. Caso não seja esse o caso, reinicie mais tarde e descubra qualquer parâmetro especial que precisa para informar ao sistema sobre seu hardware.

Informações sobre muitos parâmetros de inicialização poderão ser encontrados no Linux BootPrompt HOWTO, o que inclui dicas para hardwares obscuros. Esta seção contém somente um resumo para os parâmetros mais usados. Algumas dicas comuns estão incluídas abaixo em Seção 5.3, “Problemas e Processo de Instalação”.

Quando o kernel inicia, uma mensagem

Memory:availk/totalk available

deverá ser mostrada durante o processo. total deverá conferir com a quantidade total de memória RAM, em kilobytes. Caso não conferir com a quantidade total de memória RAM que tem instalado, você precisará usar o parâmetro mem=ram, onde ram será ajustado para a quantidade de memória, seguindo os sufixos “k” para kilobytes, ou “m” para megabytes. mem=64m significa 64MB de RAM.

Caso estiver inicializando a partir de um console serial, o kernel geralmente auto-detectará isto Caso tenha uma placa de vídeo (framebuffer) e um teclado também conectados ao computador que deseje inicializar via console serial, você poderá ter que passar o argumento console=device ao kernel, onde device é seu dispositivo serial, que normalmente é algo como ttyS0.

5.2.1. Parâmetros da instalação da Debian

O sistema de instalação reconhece alguns parâmetros adicionais de inicialização [6] que podem ser úteis.

Um número de parâmetros tem um “formato abreviado” que ajuda a evitar as limitações das opções de linha de comando do kernel e torna mais fácil informar os parâmetros. Se um parâmetro tem um formato abreviado, ele será listado entre parênteses atrás da forma longa (normal). Exemplos neste manual normalmente usarão o formato abreviado.

debconf/priority (priority)

Este parâmetro definirá qual o a prioridade mais baixa de mensagens que serão mostradas.

A instalação padrão usa priority=high. Isto significa que ambas mensagens com prioridade “high” (alta) e “critical” (crítica) serão mostradas, mas não as de prioridade média e baixa. Caso encontre problemas, o programa de instalação ajustará a prioridade conforme necessário.

Se adicionar priority=medium como parâmetro de inicialização, lhe será mostrado um menu de instalação e ganhará mais controle através da instalação Quando priority=low for usado, todas as mensagens são mostradas (esta opção é equivalente ao método de inicialização expert). Com priority=critical o sistema de instalação mostrará somente mensagens críticas e tentará fazer a coisa certa sem bagunça.

DEBIAN_FRONTEND

Este parâmetro de inicialização controla o tipo da interface de usuário usada para o programa de instalação. Os parâmetros possíveis são:

  • DEBIAN_FRONTEND=noninteractive

  • DEBIAN_FRONTEND=text

  • DEBIAN_FRONTEND=newt

  • DEBIAN_FRONTEND=gtk

A interface padrão é DEBIAN_FRONTEND=newt. debconf/frontend=text pode ser preferível para a instalação através de console serial. Geralmente, somente a interface com o usuário newt está disponível na mídia padrão de instalação. Em arquiteturas que suportam, o instalador gráfico usa a interface gtk.

BOOT_DEBUG

Definindo este parâmetro de boot como 2 fará com que o processo de boot do instalador seja logado com mais informações. Definindo como 3 fará com que shells de depuração estejam disponíveis em pontos estratégicos do processo de boot. (Sair do shell continua o processo de boot).

BOOT_DEBUG=0

Este é o padrão.

BOOT_DEBUG=1

Mais detalhes que o normal.

BOOT_DEBUG=2

Diversas informações de depuração.

BOOT_DEBUG=3

Interpretadores de comandos são executados em vários pontos do processo de inicialização para permitir depuração detalhada. Saia do interpretador de comandos para continuar a inicialização do sistema.

INSTALL_MEDIA_DEV

O valor do parâmetro é o caminho para o dispositivo que carregará o Debian installer. Por exemplo, INSTALL_MEDIA_DEV=/dev/floppy/0

A inicialização por disquete, que normalmente procura por todos os disquetes que pode para encontrar o disquete raiz, pode ser modificada por este parâmetro para procurar somente em um único dispositivo.

debian-installer/framebuffer (fb)

Algumas arquiteturas utilizam o framebuffer do kernel para fornecer a instalação em um grande número de idiomas. Caso o framebuffer cause um problema em seu sistema, você pode desabilitar este recurso com o parâmetro fb=false. Sintomas do problema são mensagens de erro sobre o bterm ou bogl, uma tela preta ou congelamento (“freeze”) alguns minutos após iniciar a instalação.

debian-installer/theme (theme)

Um tema determina a aparência do instalador na interface do usuário (cores, ícones, etc.). Quais temas estão disponíveis difere por interface. Atualmente tanto a interface newt quanto a gtk têm apenas o tema “dark”, que foi desenhado para usuários com deficiência visual. Configure o tema inicializando com theme=dark.

debian-installer/probe/usb

Ajuste o valor desta opção para false para evitar a detecção de hardwares USB na inicialização do sistema, caso esteja dando problemas.

netcfg/disable_dhcp

Por padrão, o debian-installer automaticamente detecta a configuração de rede através do DHCP. Caso a detecção seja realizada, você não terá a chance de revisar e alterar as configurações obtidas. Você verá somente a configuração manual de rede caso a detecção do DHCP falhe.

Se tiver um servidor DHCP em sua rede local, mas deseja evita-lo por algum motivo (e.g. ele envia respostas incorretas), você pode usar o parâmetro netcfg/disable_dhcp=true para evitar a configuração da rede via DHCP e entrar com os dados manualmente.

hw-detect/start_pcmcia

Ajuste seu valor para false evitando que o sistema inicie os serviços PCMCIA, caso lhe tragam problemas. Alguns modelos de notebooks apresentam este mal comportamento.

preseed/url (url)

Especifique uma url para o arquivo de configuração que será baixado e usado para fazer a instalação automática. Veja Seção 4.4, “Instalação automática”.

preseed/file (file)

Especifique o caminho o arquivo de configuração que será carregado para realizar a configuração automática. Veja Seção 4.4, “Instalação automática”.

preseed/interactive

Definir para true para exibir perguntas mesmo se elas tiverem sido pré-configuradas. Pode ser útil para testar ou depurar um arquivo de pré-configuração. Note que isso não terá efeito nos parâmetros que são passados como parâmetros de inicialização, mas para aqueles em que uma sintaxe especial possa ser usada. Veja Seção B.5.2, “Usando a pré-configuração para mudar valores padrão” para detalhes.

auto-install/enable (auto)

Atrasar perguntas que normalmente são feitas antes da pré-configuração é possível até depois da rede ser configurada. Veja Seção B.2.3, “Modo auto” para detalhes sobre como usar isso para automatizar instalações.

cdrom-detect/eject

Automaticamente, antes de reiniciar, o debian-installer ejetará a mídia ótica usada durante a instalação. Isto pode ser desnecessário caso o sistema não esteja inicializando diretamente através da unidade de CD. Em alguns casos, podem até mesmo ser desnecessário, por exemplo se a unidade ótica não puder sozinha carregar uma nova mídia e o usuário não está lá para fazer isto manualmente. Muitos slots de mídias, slim-line e unidades estilo caddy não podem inserir automaticamente mídia.

Defina esta opção para false para impedir que a mídia seja ejetada automaticamente, e tenha cuidado para que seu sistema não inicialize automaticamente através da unidade óptica após a instalação inicial.

debian-installer/allow_unauthenticated

Por padrão o instalador requer que os repositórios sejam autenticados usando uma chave gpg conhecida. Defina para true para desabilitar essa autenticação. Aviso: inseguro, não recomendado.

ramdisk_size

Este parâmetro deveria já estar definido para um valor correto onde for necessário; defina-o apenas se você estiver vendo erros durante a inicialização que indicam que o ramdisk não pode ser completamente carregado. O valor é em kB.

rescue/enable

Defina como true para entrar no modo “rescue (recuperação)” ao invés de executar uma instalação normal. Veja Seção 8.7, “Recuperando um Sistema Quebrado”.

5.2.1.1. Usando parâmetros de inicialização para responder questões

Com algumas exceções, um valor pode ser definido no prompt de inicialização para qualquer questão perguntada durante a instalação, embora isto só seja realmente útil em casos específicos. Instruções gerais de como fazer isto podem ser encontradas em Seção B.2.2, “Usando parâmetros de inicialização para pré-configurar questões”. Alguns exemplos específicos estão listados abaixo.

debian-installer/locale (locale)

Pode ser usado para definir tanto a língua como o país para a instalação. Isto só funcionará se o locale for suportado no Debian. Por exemplo, use locale=de_CH para selecionar alemão como língua e Suíça como país.

anna/choose_modules (modules)

Pode ser usado para automaticamente carregar componentes do instalador que não são carregados por padrão. Exemplos de componentes opcionais que podem ser úteis são openssh-client-udeb (para que você possa usar scp durante a instalação) e ppp-udeb (veja Seção D.4, “Instalando Debian GNU/Linux usando PPP sobre Ethernet (PPPoE)”).

netcfg/disable_dhcp

Defina como true se você quer desabilitar o DHCP e forçar uma configuração de rede estática.

mirror/protocol (protocol)

Por padrão o instalador usará o protocolo http para baixar os arquivos dos espelhos Debian e trocar isto para ftp durante as instalações em prioridade normal não é possível. Definindo este parâmetro para ftp, você pode forçar o instalador a usar este protocolo. Note que você não pode selecionar um espelho ftp a partir de uma lista, você terá que informar o nome da máquina manualmente.

tasksel:tasksel/first (tasks)

Pode ser usado para selecionar tarefas que não estarão disponíveis a partir da lista interativa de tarefas, como a tarefas kde-desktop. Veja Seção 6.3.5.2, “Selecionando e Instalando Programas” para informações adicionais.

5.2.1.2. Passando parâmetros para os módulos do kernel

Se os drivers são compilados fazendo parte do kernel, você pode passar parâmetros para eles como descrito na documentação do kernel. Contudo, se os drivers são compilados como módulos e porque os módulos do kernel são carregados de maneira um pouco diferente durante uma instalação do que quando se inicializa um sistema instalado, não é possível passar parâmetros para os módulos como normalmente você faria. Ao invés disso, você precisa usar uma sintaxe especial reconhecida pelo instalador a qual irá então garantir que os parâmetros são salvos nos arquivos de configuração apropriados e irão, dessa forma, ser usados quando os módulos forem realmente carregados. Os parâmetros também serão propagados automaticamente para a configuração do sistema instalado.

Note que agora é bem raro ter que passar parâmetros para os módulos. Na maioria dos casos, o kernel será capaz de detectar o hardware presente no sistema e definir bons padrões. Contudo, em algumas situações, talvez ainda seja necessário definir parâmetros manualmente.

A sintaxe à ser usada para definir parâmetros é:

module_name.parameter_name=value

Se você precisar passar múltiplos parâmetros para o mesmo módulo ou para diferentes módulos, apenas repita isso. Por exemplo, para definir que uma antiga placa de rede 3Com use o conector BNC (coax) e IRQ 10, você deve passar:

3c509.xcvr=3 3c509.irq=10

5.2.1.3. Barrando (blacklisting) módulos do kernel

Algumas vezes pode ser necessário barrar um módulo para prevenir que ele seja automaticamente carregado pelo kernel e udev. Uma razão pode ser que um módulo em particular cause problemas com seu hardware. O kernel algumas vezes também lista dois drivers diferentes para o mesmo dispositivo. Isto pode fazer com que o dispositivo não funcione corretamente se os drivers conflitarem ou se o driver errado for carregado primeiro.

Você pode barrar um módulo usando a seguinte sintaxe: nome_do_módulo.blacklist=yes. Isto fará com que o módulo seja barrado em /etc/modprobe.d/blacklist.local tanto durante a instalação quanto para o sistema instalado.

Note que um módulo pode ainda ser carregado pelo sistema de instalação. Você pode evitar que isto aconteça executando a instalação no modo expert e desmarcando o módulo da lista de módulos exibida durante as fases de detecção de hardware.



[6] Com os kernels atuais (2.6.9 ou posteriores), você pode usar 32 opções de linha de comando e 32 opções de ambiente. Se esses números forem excedidos, o kernel irá entrar em pânico (panic).