D.6. O Instalador Gráfico

A versão gŕafica do instalador está disponível apenas para um número limitado de arquitecturas, incluindo AMD64. A funcionalidade do instalador gráfico é essencialmente a mesma do que a do instalador usual já que oferece basicamente os mesmo programas, mas com um frontend diferente.

Embora a funcionalidade seja idêntica, o instalador gráfico ainda tem algumas vantagens significativas. A vantagem principal é que suporta mais idiomas, nomeadamente aqueles que o conjunto de characteres não pode ser mostrado num normal frontend “newt”. Tem também algumas vantagens de usabilidade tais como a opção de utilizar um rato, e em alguns casos várias perguntas podem ser mostradas num único ecrã.

O instalador gráfico está disponível com todas as imagens de CD e com o método de instalação hd-media. Como o instalador gráfico utiliza um initrd diferente (muito maior) do instalador usual, tem de ser arrancado utilizando installgui em vez de install. De forma análoga, os modos expert e de recuperação arrancam utilizando, respectivamente, expertgui e rescuegui.

Também está disponível uma imagem especial “mini” ISO[23], que é útil principalmente para testar; neste caso a imagem arranca utilizando apenas install. Não existe nenhuma imagem do instalador gráfico que possa arrancar através de rede.

O instalador gráfico necessita de significativamente mais memória para correr do que o instalador usual: 96MB. Se estiver disponível memória insuficiente, passará automaticamente para o frontent usual “newt”.

Você pode acrescentar parâmetros de arranque quando iniciar o instalador gráfico, tal como no instalador usual. Um desses parâmetros permite-lhe configurar o rato para ser utilizado com a mão esquerda. Para parâmetros válidos veja Secção 5.2, “Parâmetros de Arranque”.

D.6.1. Utilizar o instalador gráfico

Tal como já foi mencionado, o instalador gráfico basicamente funciona da mesma maneira que o instalador usual e por isso o resto do manual pode ser utilizado para o guiar através do processo de instalação.

Se preferir utilizar o teclado em vez do rato, existem duas coisas que tem de saber. Para expandir uma lista fechada (utilizada, por exemplo, para a escolha de países dentro de continentes), pode utilizar as teclas + e -. Para questões onde pode ser escolhido mais do que um item (e.g. escolha de tarefas), primeiro precisa de carregar em tab até ao botão Continuar após ter marcado as suas escolhas; carregar em enter irá mudar uma escolha, e não activar o Continuar.

Para mudar para outra consola, também irá necessitar de utilizar a tecla Ctrl, tal como no X Window System. Por exemplo, para mudar para o VT1 você deve utilizar: Ctrl-Alt Esquerdo-F1.

D.6.2. Problemas conhecidos

O Etch é o primeiro lançamento que inclui o instalador gráfico e utiliza tecnologia relativamente nova. Existem alguns problemas conhecidos que você pode encontrar durante a instalação. Nós esperamos ser capazes de corrigir esses problemas para o próximo lançamento de Debian GNU/Linux.

  • A informação em alguns ecrãs não está agradavelmente formatada em colunas tal como deveria estar. O exemplo mais óbvio é o primeiro ecrã onde escolhe o seu idioma. Outro exemplo é o ecrã principal do partman.

  • Escrever alguns caracteres pode não funcionar e em alguns casos pode ser escrito o caractere errado. Por exemplo, "compor" um caractere escrevendo um acento e depois a letra sobre/sob onde o acento deveria aparecer não funciona.

  • O suporte para touchpads ainda não é óptimo.

  • Você não deve mudar para uma consola diferente enquanto o instalador está ocupado; isto pode fazer com que o frontend bloqueie. O frontend será automaticamente reiniciado, mas isto poderá ainda causar problemas com a instalação. Mudar para outra consola enquanto o instalador está à espera de uma entrada deve funcionar sem causar quaisquer problemas.

  • O suporte para criar partições encriptadas é limitado já que não é possível gerar uma chave de encriptação aleatória. É possível configurar uma partição encriptada apenas utilizando uma frase-passe como chave de encriptação.

  • Iniciar uma shell a partir do frontend gráfico não é suportado suportado. Isto significa que as opções relevantes para o fazer (que estão disponíveis quando inicia o frontend em modo de texto), não serão mostradas no menu principal do sistema de instalação nem no menu para o modo de recuperação. Em vez disso terá de mudar (como é descrito acima) para as shells que estão disponíveis nas consolas virtuais VT2 e VT3.

    Após ter arrancado o instalador no modo de recuperação, poderá ser útil iniciar uma shell na partição raiz de um sistema já instalado. Isto é possível (após ter seleccionado a partição a ser montada como a partição raiz) mudando para o VT2 ou para o VT3 e introduzindo o seguinte comando:

    # chroot /target
    



[23] Pode ser feito o download da imagem mini ISO a partir de um mirror Debian tal como é descrito em Secção 4.2, “Download dos Ficheiros a partir dos Mirrors Debian”. Procure por “gtk-miniiso”.