4.3. Criando disquetes a partir de imagens de disco

Os disquetes de partida são geralmente usados como último recurso para se iniciar o programa de instalação em hardwares que não podem inicializar a partir de um CD ou de outros métodos.

As imagens de discos são arquivos que possuem o conteúdo completo de um disquete em formato raw. Imagens de disco tais como boot.img não podem ser simplesmente copiadas para uma unidade de disquete. Um programa especial é usado para gravar os arquivos de imagem para o disquete em modo raw. Isto é requerido porque estas imagens são representações em formato simples do disco; é requerida para fazer a cópia de setores de dados de um arquivo em disquete.

Existem diferentes técnicas para a criação de disquetes a partir das imagens de disquetes. Esta seção descreve como criar disquetes a partir de imagens de discos em diferentes plataformas.

Antes de poder criar seus disquetes, você primeiro precisa baixá-los de um dos espelhos do Debian, conforme explicado em Seção 4.2, “Baixando arquivos através de espelhos (mirrors) da Debian”.

Não importa qual método usou para criar seus disquetes, você deverá se lembrar de protegê-los contra gravação puxando sua lingüeta assim que gravá-los para ter certeza que não sejam danificados sem intenção.

4.3.1. Gravando imagens de disquetes a partir de um sistema Linux ou Unix

Para gravar arquivos de imagens de disquetes para os disquetes, você provavelmente precisará ter acesso root ao sistema. Coloque um disquete em bom estado, vazio na unidade de disquetes. Após isto execute o comando

$ dd if=arquivo of=/dev/fd0 bs=1024 conv=sync ; sync

onde arquivo é um dos arquivos de imagem de disquetes. /dev/fd0 é um nome normalmente usado de uma unidade de disquetes, ela poderá ser diferente em sua estação de trabalho (no Solaris, o dispositivo é identificado por /dev/fd/0). O comando poderá retornar para o aviso de comando antes de terminar a gravação do disquete, desta maneira verifique se o LED que indica disco em uso apagou antes de ejetar o disquete da unidade. Em muitos sistemas, você terá que executar um comando para ejetar o disquete da unidade (no Solaris, use eject, veja as páginas de manual).

Alguns sistemas automaticamente tentam montar um disquete quando o insere na unidade. Você poderá ter que desativar esta característica antes tentar gravar os disquetes de imagem. Infelizmente, o método que isto é feito varia de acordo com o sistema operacional. No Solaris, acesso o gerenciador de volumes para obter acesso raw ao seu disquete. Primeiro tenha certeza que o disquete está auto-montado (usando o comando volcheck ou o comando equivalente no gerenciador de arquivos). Então use o comando dd na forma descrita acima, apenas substituindo /dev/fd0 por /vol/rdsk/nome_disquete, onde nome_disquete é o nome da unidade de disquetes que foi fornecido quando ele foi formatado (disquetes sem nome recebem o nome padrão de unnamed_floppy - “sem_nome”). Em outros sistemas, pergunte ao seu administrador de sistemas.

4.3.2. Gravando imagens de disquetes a partir do DOS, Windows ou OS/2

Se tiver acesso a uma máquina i386 ou amd64, você poderá usar um dos seguintes programas para copiar as imagens para os disquetes.

Os programas rawrite1 e rawrite2 podem ser usados sob o MS-DOS. Para utilizar estes programas, primeiro assegure-se que inicializou no DOS. Não espera-se que a tentativa de usar estes programas dentro de uma janela do DOS em uma seção Windows ou dando um duplo clique nestes programas dentro do Windows Explorer funcione.

O programa rwwrtwin é executado no Windows 95, NT, 98, 2000, ME, XP e provavelmente em versões mais novas. Para usá-lo você precisará descompactar o arquivo diskio.dll no mesmo diretório.

Estas ferramentas podem ser encontradas nos CD-ROMs oficiais do Debian sob o diretório /tools.