[ anterior ] [ Conteúdo ] [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] [ 5 ] [ 6 ] [ A ] [ B ] [ próximo ]


Notas de Lançamento para Debian GNU/Linux 3.1 (`sarge'), PA-RISC
Capítulo 4 - Atualizações a partir de versões anteriores


4.1 Preparando para a Atualização

Antes de atualizar seu sistema, recomenda-se fortemente que você faça uma cópia de segurança completa, ou pelo menos copie os dados ou informações de configuração que você não pode perder. As ferramentas de atualização e processos são bastante confiáveis, mas uma falha de hardware no meio de uma atualização pode resultar em um sistema bastante danificado.

As principais coisas que você precisará copiar são os conteúdos de /etc, /var/lib/dpkg e a saída de dpkg --get-selections "*" (as aspas duplas são importantes).

O processo de atualização por si só não modifica nada no diretório /home. Porém, algumas aplicações (por exemplo, o Mozilla,algumas aplicações KDE) são conhecidas por sobreescrever configurações de usuários com novos padrões quando uma nova versão da aplicação é iniciada pela primeira vez pelo usuário. Como precaução, você pode desejar fazer uma cópia de segurança dos arquivos e diretórios ocultos ("dotfiles") nos diretórios pessoais dos usuários, Essa cópia de segurança pode ajudar a restaurar ou recirar as configurações antigas. Você pode também desejar informar aos usuários sobre esse problema.

É prudente informar todos os usuários antes de qualquer atualização que você esteja planejando, apesar que usuários acessando seu sistema via SSH (pelo menos) possam não notar muito durante a atualização, e possam querer continuar trabalhando. Se você deseja tomar precauções extras, faça uma uma cópia de segurança ou desmonte as partições dos usuários (/home) antes de atualizar. Normalmente não será necessária um reinicialização, a menos que você planeje também atualizar seu kernel.

A atualização da distribuição pode ser feita localmente a partir de um console virtual em modo texto (ou um terminal serial conectado diretamente), ou remotamente através de um link ssh.

Importante: Você não deve atualizar usando telnet, rlogin, rsh ou de uma sessão X gerenciada pelo xdm, gdm ou kdm na máquina que você está atualizando. Isso ocorre porque cada um desses serviços pode ser terminado durante a atualização, que pode resultar em um sistema inacessível que esteja apenas parcialmente atualizado.

Qualquer operação de instalação de pacotes deve ser executada com privilégios de superusuário, portanto, autentique-se como root ou utilize o su ou o sudo para obter os direitos de acesso necessários.


4.2 Checando o estado do sistema

O processo de atualização descrito nesse capítulo foi pensando para atualizações de sistemas woody "puros". O mesmo assume que seu sistema foi atualizado para a última versão menor do woody. Caso você não tenha atualizado ou não tenha certeza de tê-lo feito, siga as instruções em Atualizando seu sistema woody, Seção B.1.


4.2.1 Desabilitando a pinagem do APT

Caso você tenha configurado o APT para instalar certos pacotes de uma distribuição diferente da distribuição estável (por exemplo, da distribuição testing) você pode ter que mudar sua configuração de pinagem do APT (armazenada em /etc/apt/preferences) para permitir a atualização de pacotes para as novas versões dos mesmos encontradas na nova versão estável da distribuição. Maiores informações sobre a pinagem do APT podem ser encontradas na página de manual apt_preferences(5).


4.2.2 Verificando o estado dos pacotes

Qualquer que seja o método usado para atualização, recomenda-se que você verifique o estado de todos os pacotes antes, e verifique se todos os pacotes estão em um estado atualizável. O comando seguinte exibirá qualquer pacote cujo estado seja de semi-instalado ou falha na configuração, e aqueles com qualquer estado de erro.

     # dpkg --get-selections | grep hold

Você também pode inspecionar o estado de todos os pacotes em seu sistema usando o dselect, o aptitude ou com comandos como

     # dpkg -l | pager

ou

     # dpkg --get-selections > ~/curr-pkgs.txt

É desejável remover qualquer hold antes da atualização. Se algum pacote essencial para a atualização estiver em hold, a atualização falhará. Você pode identificar pacotes em "hold" com

     # dpkg --get-selections | grep hold

Se você mudou e recompilou um pacote localmente, e não mudou seu nome nem colocou uma data na versão, você deve colocá-lo em hold para evitar que ele seja atualizado. O estado de pacote `hold' pode ser mudado usando o dselect (no menu Seleciona, utilize as teclas `H' e `G' para manter - hold - e liberar - unhold -, respectivamente) ou editando o arquivo produzido por

     # dpkg --get-selections > ~/curr-sels.txt

para mudar "hold" para "install" (ou vice-versa) e então usar

     # dpkg --set-selections < ~/curr-sels.txt

Caso exista algo que você precise corrigir, é melhor certificar-se de que seu arquivo sources.list ainda aponte para o woody, como explicado em Checando sua lista de fontes, Seção B.2.


4.2.3 Fontes e backports não oficiais

Caso você possua qualquer pacote não-Debian em seu sistema você deverá estar ciente de que esses pacotes poderão ser removidos durante a atualização devido a dependências conflitantes. Caso esses pacotes tenham sido instalados adicionando um repositório de pacotes extra em seu arquivo /etc/apt/sources.list você deverá checar se esse repositório também oferece pacotes compilados para o sarge e mudar a linha da fonte correspondente quando estiver mudando suas suas linhas de fontes para pacotes Debian.

Alguns usuários podem possuir "novas" versões não oficiais de pacotes (backports) não oficiais que estão no Debian instalados em seu sistema woody. Tais pacotes provavelmente causarão problemas durante uma atualização uma vez que eles podem resultar em conflitos de arquivos[1]. A seção Possíveis problemas durante ou após a atualização, Seção 4.5.5 possui alguma informação sobre como lidar com conflitos de arquivos caso os mesmos aconteçam.


4.3 Checando o suporte ao kernel

Em máquinas HPPA de 64bits você precisará atualizar para uma versão de kernel mais nova antes de atualizar o sistema. Isso é necessário devido a novas versões da glibc utilizarem instruções assembler não disponíveis em certas máquinas, de forma que você precisa de um kernel atualizado que suporte a emulação das instruções que faltam antes.


4.3.1 Atualizando o kernel

Se (e somente se) as seções anteriores dizem que você deverá atualizar seu kernel antes de atualizar seu sistema, você deverá fazê-lo agora.

Backports de todas as ferramentas necessárias para instalar o kernel atual do sarge estão disponíveis. Instruções detalhadas sobre como instalar o novo kernel podem ser encontradas em Atualizando o kernel, Apêndice A.


4.4 Preparandos fontes para o APT

Antes de iniciar a atualização você deve ajustar o arquivo de configuração do apt para a lista de pacotes, /etc/apt/sources.list.

O apt considerará todos os pacotes que podem ser encontrados através de qualquer linha "deb", e instalará o pacote com o maior número de versão, dando prioridade para as linhas mencionadas primeiro (assim, em caso de várias localizações em espelho, você nomearia primeiro tipicamente um disco rígido, então CD-ROMs, e então espelhos HTTP/FTP).

Uma versão pode frequentemente ser referenciada por ambos o seu codinome (por exemplo, woody, sarge) e por seu nome de estado (por exemplo, oldstable, stable, testing, unstable). Referenciar-se a uma versão pelo seu codinome possui a vantagem de você nunca ser surpreendido por uma nova versão e por essa razão esse é o método utilizado aqui. Isso, é claro, significa que você deverá ficar atento a anúncios de lançamentos. Caso você utilize nomes de estado, você somente verá uma grande quantidade de atualizações de pacotes disponíveis tão logo uma nova versão seja lançada.


4.4.1 Adicionando fontes da Internet para o APT

A configuração padrão é ajustada para instalação a partir dos sevidores Debian principais da Internet, mas você pode desejar modificar o /etc/apt/sources.list para usar outros espelhos, preferencialmente um espelho que esteja mais próximo de você na rede.

Por exemplo, suponha que seu espelho Debian mais próximo seja http://mirrors.kernel.org/debian/. Ao inspecionar esse espelho com um navegador web ou um programa de FTP, você notará que os diretórios principais são organizados assim:

     http://mirrors.kernel.org/debian/dists/sarge/main/binary-hppa/...
     http://mirrors.kernel.org/debian/dists/sarge/contrib/binary-hppa/...

Para usar esse espelho com o apt, adicione essa linha em seu arquivo sources.list:

     deb http://mirrors.kernel.org/debian sarge main contrib

Note que o `dists' é adicionado implicitamente, e os argumentos depois do nome da versão são usados para expandir o caminho para vários diretórios.

Depois de adicionar suas novas fontes, desabilite as linhas "deb" previamente existentes em sources.list, colocando uma cerquilha (#) na frente delas.

Qualquer pacote necessário para instalação que seja obtido pela rede é armazenado em /var/cache/apt/archives (e o subdiretório partial/, durante o download), então você deve certificar-se de que possui espaço suficiente antes de iniciar a instalação. Com uma instalação Debian razoavelmente extensa, pode-se esperar pelo menos 300 MB de dados baixados.


4.4.2 Adicionando fontes de espelho local para o APT

Ao invés de usar espelhos de pacotes HTTP ou FTP, você pode desejar modificar o /etc/apt/sources.list para usar um espelho em um disco local (possivelmente um montado via NFS).

Por exemplo, seu espelho de pacotes pode estar sob /var/ftp/debian/, e ter diretórios principais como esses:

     /var/ftp/debian/dists/sarge/main/binary-hppa/...
     /var/ftp/debian/dists/sarge/contrib/binary-hppa/...

Para usá-los com o apt, adicione essa linha em seu arquivo sources.list:

     deb file:/var/ftp/debian sarge main contrib

Note que o `dists' está adicionado implicitamente e os argumentos depois do nome da versão são usados para expandir o caminho para vários diretórios.

Depois de adicionar suas novas fontes, desabilite as linhas "deb" previamente existentes no sources.list, colocando uma cerquilha (#) na frente delas.


4.4.3 Adicionando fontes de CD-ROM ou DVD para o APT

Se você quer usar apenas CD's, comente as linhas "deb" no /etc/apt/sources.list colocando uma cerquilha (#) na frente delas.

Certifique-se de que há uma linha em /etc/fstab que habilita a montagem de sua unidade de CD-ROM no ponto de montagem /cdrom (é necessário exatamente o ponto de montagem /cdrom para o apt-cdrom). Por exemplo, se /dev/hdc é sua unidade de CD-ROM, o /etc/fstab deve conter uma linha como:

     /dev/hdc    /cdrom     auto     defaults,noauto,ro        0       0

Note que não pode haver nenhum espaço entre as palavras defaults,noauto,ro no quarto campo.

Para verificar se funciona, insira um CD e tente executar

     # mount /cdrom      # isto montará o CD no ponto de montagem
     # ls -alF /cdrom    # isto deve exibir o diretório raiz do CD
     # umount /cdrom     # isto desmontará o CD

A seguir, execute:

     # apt-cdrom add

para cada CD-ROM Debian Binário que tiver, para adicionar os dados sobre cada CD na base de dados do APT.


4.5 Atualizando pacotes

O método recomendado para atualizar entre versões do Debian GNU/Linux é utilizar a ferramenta de gerenciamento de pacotes aptitude. Essa ferramenta toma decisões mais seguras sobre instalações de pacotes do que executar o apt-get diretamente.

Não esqueça de montar todas as partições necessárias (notavelmente as partições raiz e /usr) como leitura e escrita, com um comando como:

     # mount -o remount,rw /ponto_de_montagem

O próximo passo é se certificar duplamente se as entradas de fontes APT (em /etc/apt/sources.lis) se referem a distribuição "sarge" ou a "stable". Nota : linhas de fontes para um CD-ROM normalmente irão referenciar a "unstable"; apesar de parecer confuso, você não deverá mudar isso.

É altamente recomendado que você utilize o programa /usr/bin/script para gravar uma transcrição da sessão de atualização. Assim, caso aconteça algum problema, você terá um log do que aconteceu e, caso necessário, poderá fornecer informações exatas em um relatório de bug. Para iniciar a gravação da sessão, digite :

     # script -a ~/upgrade-to-sarge.typescript

ou similar. Não coloque o arquivo typescript em um diretório temporário como os diretórios /tmp ou /var/tmp (arquivos nesses diretórios podem ser apagados durante a atualização ou durante uma reinicialização).

O arquivo typescript também lhe permitirá rever informações que rolaram para fora da tela. Somente mude o segundo terminal (usando alt-F2) e, após se autenticar, use less ~root/upgrade-to-sarge.typescript para visualizar o arquivo.

Após ter finalizado a atualização, você pode parar o script digitando exit no prompt de comandos.


4.5.1 Atualizando a lista de pacotes

Primeiro, a lista de pacotes disponíveis para a nova versão precisa ser obtida. Isso é feito executando[2] :

     # aptitude update

4.5.2 Instalando o aptitude

Testes de atualização mostraram que a versão existente no sarge do aptitude é melhor em resolução de dependências complexas durante uma atualização do que as versões existentes no woody do apt-get ou do aptitude. Portanto o mesmo deve ser instalado primeiro usando :

     # apt-get install aptitude

Lhe será exibida uma lista de mudanças que serão feitas e você será questionado se deseja aceitá-las. Você deverá olhar cuidadosamente as mudanças propostas, especialmente pacotes que serão removidos pela atualização, antes de aceitá-las.

Em alguns casos caso um grande número de pacotes seja listado para remoção, você pode reduzir essa lista "pré-atualizando" outros pacotes selecionados com o aptitde. Um exemplo pode clarear isso. Durante testes de atualização para sistemas que possuem o KDE instalado notamos que esse passo causaria a remoção de um grande número de pacotes do KDE e/ou perl. A solução encontrada foi instalar o instalar o aptitude e o perl ao invés de instalar o aptitude.

O aptitude utiliza um método diferente do método utilizado pelo apt-get ou pelo dselect para registrar pacotes que estejam em "hold". Isso significa que caso você possua quaisquer pacotes em "hold", você também precisará marcá-los como estando no estado "hold" para o aptitude antes de prosseguir.

Primeiro liste os pacotes em "hold" para o apt-get usando :

     # dpkg --get-selections | grep hold

O próximo passo é definir os mesmos pacotes como estando no estado "hold" para o aptitude usando :

     # aptitude hold nome_do_pacote

Você pode checar quais pacotes estão em estado "hold" para o aptitude usando :

     # aptitude search "~ahold" | grep "^.h"

4.5.3 Atualizando o doc-base

Caso você possua o pacote doc-base instalado, o mesmo também deve primeiro ser atualizado antes do restante do sistema. A razão diso é que o mesmo pode falhar caso o perl seja atualizado ao mesmo tempo. Você pode verificar se o mesmo está instalado usando :

     # dpkg -l doc-base

Caso a linha que for exibida na saída iniciar com a letra "i" então o pacote está instalado e deve ser atualizado antes de prosseguir com a atualização de todo o sistema.

     # aptitude install doc-base

4.5.4 Atualizando o restante do sistema

Você agora está pronto para continuar com a parte principal da atualização. Execute :

     # aptitude -f --with-recommends dist-upgrade

Isso irá executar uma atualização completa do sistema, ou seja, instalar as versões mais novas de todos os pacotes e resolver todas as possíveis mudanças de dependências entre pacotes em diferentes versões da distribuição. Caso necessário, novos pacotes serão instalados (normalmente novas versões de bibliotecas ou pacotes renomeados) e será feita a remoção de quaisquer pacotes obsoletos conflitantes (como o console-tools-libs).

Quando atualizando a partir de CD-ROMs, será pedido que você insira CDs específicos em vários momentos durante a atualização. Você pode ter que inserir o mesmo CD várias vezes; isso ocorre devido aos pacotes inter-relacionados que foram dispostos ao longo dos CDs.

Novas versões de pacotes já instalados que não podem ser atualizados sem mudar o estado de instalação de outro pacote serão deixados na versão atual (exibidos como "held back" ou "mantidos"). Isso pode ser resolvido usando o aptitude para selecionar esses pacotes para instalação ou tentando o comando aptitude -f install pacote.

A opção --fix-broken (ou apenas -f) faz com que o apt tente corrigir um sistema com dependências quebradas. O apt não permite que existam dependências quebradas em um sistema.


4.5.5 Possíveis problemas durante ou após a atualização

Caso uma operação que utilize o aptitude, apt-get ou dpkg falhe com um erro

     E: Dynamic MMap ran out of room

o espaço de cache padrão é insuficiente. Você pode solucionar esse problema removendo ou comentando linhas que você não precise no arquivo /etc/apt/sources.list ou aumentando o tamanho do cache. O tamanho do cache pode ser aumentando definindo APT::Cache-Limit no arquivo /etc/apt/apt.conf. O comando a seguir irá definir essa variável para um valor que deve ser suficiente para a atualização :

     # echo 'APT::Cache-Limit "12500000";' >> /etc/apt/apt.conf

Esse comando assume que você ainda não possui essa variável definida nesse arquivo.

Algumas vezes é necessário habilitar a opção APT::Force-LoopBreak no APT para poder remover temporariamente um pacote essencial devido a um loop de Conflitos/Pré-Dependências. O aptitude o alertará sobre isso e abortará a atualização. Você pode resolver isso especificando a opção -o APT::Force-LoopBreak=1 na linha de comando do aptitude.

É possível que a estrutura de dependências de um sistema possa estar tão corrompida que a ponto de requerer intervenção manual. Geralmente isso significa usar o aptitude ou

     # dpkg --remove nome_do_pacote

para eliminar alguns dos pacotes problemáticos, ou

     # aptitude --fix-broken install
     # dpkg --configure --pending

Em casos extremos você pode ter que forçar a reinstalação com um comando como

     # dpkg --install /caminho/para/nome_do_pacote.deb

Conflitos de arquivos não deverão ocorrer caso você atualize a partir de um sistema woody "puro", mas podem ocorrer caso você possua backports não oficiais instalados. Um conflito de arquivo resultará em um erro como :

     Unpacking replacement <pacote-foo> ...
     dpkg: error processing <nome-pacote-para-foo> (--unpack):
      trying to overwrite `<algum-nome-de-arquivo>',
      which is also in package <pacote-bar>

Você pode tentar solucionar um conflito de arquivo forçando a remoção do arquivo mencionando na última linha da mensagem de erro :

     # dpkg -r --force-depends nomepacote

Depois de consertar as coisas, você deve ser capaz de terminar a atualização repetindo os comandos aptitude previamente descritos.

Durante a atualização, serão feitas perguntas para configurar ou reconfigurar vários pacotes. Quando questionado se algum arquivo nos diretórios /etc/init.d ou /etc/terminfo, ou o arquivo /etc/manpath.config devem ser substituídos pela versão do desenvolvedor do pacote, geralmente é necessário responder `yes' (sim) para garantir a consistência do sistema. Você sempre poderá reverter para as versões antigas, já que as mesmas serão guardadas com uma extensão .dpkg-old.

Se você não souber bem o que fazer, escreva o nome do pacote ou arquivo, e resolva isso depois. Você pode procurar no arquivo typescript para rever a informação que estava na tela durante a atualização.


4.6 O que fazer antes da próxima reinicialização

Quando o aptitude dist-upgrade tiver acabado, a atualização "formal" estará completa, mas há algumas outras coisas que devem receber atenção antes da próxima reinicialização.

Leia /usr/share/doc/xfree86-common/README.Debian-upgrade.gz para maiores informações sobre a atualização dos pacotes do sistema de janelas X. Isso é relevante para usuários de todas as versões anteriores do Debian. Em resumo, você precisa ler isso.


4.6.1 Atualizando seu kernel

Note que o kernel Linux não foi atualizado por esses procedimentos. Você pode desejar fazê-lo manualmente, instalando um dos pacotes kernel-image-* ou compilando um kernel personalizado a partir dos fontes.

Para atualizar seu kernel você deve primeiro escolher qual kernel é mais aproriado para sua subarquitetura. Uma lista de kernels disponíveis para instalação pode ser encontrada com :

     # apt-cache search ^kernel-image

Você deverá então utilizar o comando aptitude install para instalar o kernel aproriado. Uma vez que esse novo kernel esteja instalado você deverá reiniciar o computador na próximo oportunidade disponível para obter os benefícios do novo kernel.

Por favor note que o sistema de instalação do woody (e de versões anteriores) não instalavam o kernel como um pacote em seu sistema. Isso mudou no sarge e você pode agora instalar pacotes virtuais para ter o controle das mudanças de kernel. Esses pacotes são nomeados kernel-image-VERSÃO-ARQUITETURA, onde VERSÂO corresponde ao número de versão do kernel (2.4 ou 2.6) e ARQUITETURA corresponde a uma das arquiteturas suportadas. Caso você deseje ter o suporte a segurança para o kernel integrado no gerenciamento de pacotes, por favor, instale o pacote de kernel mais adequado ao seu hardware após a atualização.

Para os mais aventureiros, há uma maneira fácil de compilar seu próprio kernel personalizado no Debian GNU/Linux. Instale a ferramenta kernel-package e leia a documentação em /usr/share/doc/kernel-package.


4.6.2 Atualizando para o mdadm a partir do raidtools2

O pacote raidtools2 não é mais mantido por seus desenvolvedores oficiais e foi substituído pelo pacote mdadm. O mdadm é um único programa que pode executar quase todas as tarefas de gerenciamento RAID sem a necessidade de um arquivo de configuração; por padrão um arquivo de configuração não é usado.

O restante desta seção apresenta algumas dicas de atualização para usuários do raidtools2.

Como mencionado acima, em muitos casos o mdadm pode funcionar sem um arquivo de configuração. Caso você utilize um kernel configure o arranjo RAID automaticamente para você, você pode pular este parágrafo — você meramente precisa instalar o pacote mdadm e o arranjo RAID será detectado durante o processo de inicialização. Os kernels padrão no Debian possuem suporte para a configuração de arranjos RAID na inicialização. Você também precisa certificar-se de que as partições estejam definidas com o tipo "Linux raid autodetect" (id fd). O comando a seguir irá listar o tipo atual das partições :

     # fdisk -l dispositivo_de_disco

Caso você possua uma configuração mista com alguns arranjos RAID que são autoconfigurados e alguns que não são, você precisará criar um arquivo de configuração.

Para migrar do arquivo de configuração /etc/raidtab (pacote raidtools2) para o arquivo /etc/mdadm/mdadm.conf (pacote mdadm), por favor, execute :

     # echo 'DEVICE /dev/hd*[0-9] /dev/sd*[0-9]' > /etc/mdadm/mdadm.conf
     # mdadm --examine --scan >> /etc/mdadm/mdadm.conf

Esses comandos irão gerar um arquivo de configuração com os arranjos existentes no sistema.

Você deverá se certificar de que os arranjos RAID sejam iniciados automaticamente na inicialização. Confira o arquivo /etc/default/mdadm para verificar se a variável AUTOSTART está definida com o valor true.


4.7 Pacotes obsoletos

Introduzindo diversos milhares de novos pacotes, o sarge também retira e omite mais de dois mil pacotes que estiveram no woody. Não é fornecido um caminho de atualização para pacotes obsoletos. Apesar de nada impedir que você continue utilizando esses pacotes obsoletos se você assim desejar, o projeto Debian normalmente irá descontinuar o suporte a atualizações de segurança para os mesmos um ano após o lançamento do sarge[3], e normalmente não irá fornecer outro suporte nessa faixa de tempo. Substituí-los por alternativas disponíveis, caso existam, é recomendado.

Existem muitas razões pelas quais pacotes podem ter sido removidos da distribuição; eles podem não estar mais sendo desenvolvidos pelos desenvolvedores originais e pode não existir mais um Desenvolvedor Debian interessado em mantê-los; a funcionalidade que eles fornecem pode ter sido substituída por um software diferente (ou uma nova versão); ou os mesmos não serem mais considerados adequados para o sarge devido a bugs existentes. No último caso, esses pacotes podem ainda estar presentes na distribuição "unstable".

Detectar quais pacotes em um sistema atualizado são "obsoletos" é fácil uma vez que as ferramentas de gerenciamento de pacotes irão marcá-los como obsoletos. Caso você esteja usando o aptitude, você verá uma listagem desses pacotes na entrada "Pacotes Obsoletos e Criados Localmente". O dselect fornece uma seção similar mas a listagem que o mesmo apresenta pode ser diferente. Adicionalmente, caso você tenha utilizado o aptitude para instalar pacotes manualmente no woody o mesmo irá manteve um registro dos pacote que você instalou manualmente e será capaz de marcar como obsoletos aqueles pacotes instalados somente como dependências e que não são mais necessários caso os pacotes que dependiam deles tenham sido removidos. O aptitude, diferentemente do deborphan, nãio irá marcar como obsoletos os pacotes que você instalou manualmente, ao invés daqueles que foram instalados através de dependências.

Existem ferramentas adicionais que podem ser utilizadas para encontrar pacotes obsoletos, como o deborphan, o debfoster ou o cruft. O deborphan é altamente recomendado, apesar de (no modo padrão) relatar somente bibliotecas obsoletas : pacotes nas seções "libs" e "oldlibs" que não são utilizados por outros pacotes. Não remova cegamente os pacotes que essas ferramentas lhe apresentarem como obsoletos, especialmente caso você esteja utilizando opções não padrão agresivas que são passíveis de reprodução de falsos positivos. É altamente recomendado que você revise manualmente os pacotes sugeridos para remoção (por exemplo, o conteúdo, tamanho e descrição dos mesmos) antes de removê-los.

O Sistema de Acompanhamento de Bugs geralmente fornece informação adicional sobre o motivo da remoção de um pacote. Você deverá revisar antes os relatórios de bugs arquivos para verificar o próprio pacote e os relatórios de bugs arquivados para o pseudo-pacote ftp.debian.org.


4.7.1 Pacotes "dummy"

Alguns pacotes do woody foram divididos em diversos pacotes no sarge, geralmente para melhorar a sustentabilidade do sistema. Para facilitar o caminho de atualização nesses casos, o sarge geralmente fornece pacotes "dummy" : pacotes vazios que possuem o mesmo nome do pacote antigo no woody com dependências que fazem com que os novos pacotes sejam instalados. Esses pacotes "dummy" são considerados pacotes obsoletos após a atualização e podem ser facilmente removidos.

A maioria (se não todas) das descrições dos pacotes "dummy"indicam seu o propósito dos pacotes. Porém, descrições de pacotes para pacotes "dummy" não são uniformes, portanto você pode achar útil o uso do deborphan com o opção --guess para detectá-los em seu sistema. Note que alguns pacotes "dummy" não foram criados para serem removidos após uma atualização mas, ao invés disso, para serem usados para manter co controle da versão disponível de um programa durante o tempo.


[ anterior ] [ Conteúdo ] [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] [ 5 ] [ 6 ] [ A ] [ B ] [ próximo ]


Notas de Lançamento para Debian GNU/Linux 3.1 (`sarge'), PA-RISC

$Id: release-notes.pt_BR.sgml,v 1.20 2005/07/03 10:19:16 jseidel Exp $

Josip Rodin, Bob Hilliard, Adam Di Carlo, Anne Bezemer, Rob Bradford (atual), Frans Pop (atual)
debian-doc@lists.debian.org