C.4. Instalar Debian GNU/Linux a partir de um sistema Unix/Linux

Esta secção explica como instalar Debian GNU/Linux a partir de um sistema Unix ou Linux existente, sem utilizar o instalador guiado pelo menu como é explicado no resto do manual. Este “cross-install” HOWTO foi pedido por utilizadores que mudam para Debian GNU/Linux a partir de Red Hat, Mandrake e SUSE. Nesta secção é assumida alguma familiaridade em introduzir comandos *nix e navegar através do sistema de ficheiros. Nesta secção, $ simboliza um comando a ser escrito pelo utilizador do sistema actual, e # refere-se a comandos introduzidos no chroot Debian.

Assim que tiver o novo sistema Debian configurado de acordo com as suas preferências, você pode migrar os dados existentes dos utilizadores (se os tiver) para lá, e continuar a rolar. Isto é portanto uma instalação Debian GNU/Linux com “zero paragens”. É também uma maneira inteligente de lidar com hardware que de outro modo não se dá bem com os vários media ou tipos de arranque.

C.4.1. Começar

Com os seus actuais utilitários de particionamento *nix, reparticione o disco rígido conforme necessário, criando pelo menos um sistema de ficheiros e swap. Você necessita pelo menos de 150 MB de espaço disponível para instalação de apenas consola, ou pelo menos 300MB se planeia instalar o X.

Para criar os sistemas de ficheiros nas suas partições. Por exemplo, para criar um sistema de ficheiros ext3 na partição /dev/hda6 (é a nossa partição raiz no nosso exemplo):

# mke2fs -j /dev/hda6

Em vez disso para criar um sistema de ficheiros ext2, omita -j.

Inicializar e activar a partição swap (substitua o número da partição pelo que deseja na sua partição swap Debian):

# mkswap /dev/hda5
# sync; sync; sync
# swapon /dev/hda5

Monte uma partição como /mnt/debinst (o ponto de instalação, para ser o sistema de ficheiros raiz (/) no seu novo sistema). O nome do ponto de montagem é completamente arbitrário, é referenciado depois mais abaixo.

# mkdir /mnt/debinst
# mount /dev/hda6 /mnt/debinst

Nota

Se deseja ter partes do sistema de ficheiros (e.g. /usr) montados em partições separadas, você tem de criar e montar manualmente esses directórios antes de proceser para a próxima etapa.

C.4.2. Instalar debootstrap

O utilitário que o instalador Debian utiliza, que é reconhecido como a forma oficial de instalar um sistema base Debian, é o debootstrap. Este utiliza o wget e ar, mas de outra forma depende apenas de /bin/sh. Instale os wget e ar se não estão já no seu sistema actual, depois faça o download e instale o debootstrap.

Se você tem um sistema baseado em rpm, você pode utilizar o alien para converter o .deb em .rpm, ou fazer o download de uma versão rpm em http://people.debian.org/~blade/install/debootstrap

Ou, pode utilizar o seguinte procedimento para instala-lo manualmente. Crie um directório de trabalho para extrair lá o .deb:

# mkdir work
# cd work

O binário debootstrap esta localizado no arquivo Debian (assegure-se que escolhe o ficheiro adequado para a sua arquitectura). Faça o download do .deb debootstrap a partir do pool, copie o pacote para o directório de trabalho, e extraia dele os ficheiros binários. Você vai necessitar de privilégios de root para instalar os binários.

# tar -x debootstrap_0.X.X_arch.deb
# cd /
# zcat /full-path-to-work/work/data.tar.gz | tar xv

Note que correr debootstrap pode necessitar que tenha instalada uma versão minimalista da glibc (actualmente GLIBC_2.3). O próprio debootstrap é um script da shell, mas chama vários utilitários que necessitam da glibc.

C.4.3. Corra debootstrap

O debootstrap pode fazer o download dos ficheiros necessários directamente do arquivo quando o executar. Você pode substituir qualquer mirror de arquivo por http.us.debian.org/debian no exemplo do comando abaixo, de preferência um mirror perto da sua rede. Os mirrors estão listados em http://www.debian.org/misc/README.mirrors.

Se você tem o CD Debian GNU/Linux sarge montado em /cdrom, você pode substituir um URL de ficheiro em vez do URL http: file:/cdrom/debian/

Substitua um dos seguintes por ARCH em debootstrap command: alpha, arm, hppa, i386, ia64, m68k, mips, mipsel, powerpc, s390, ou sparc.

# /usr/sbin/debootstrap --arch ARCH sarge \
     /mnt/debinst http://http.us.debian.org/debian

C.4.4. Configurar o Sistema Base

Agora que você tem um verdadeiro sistema Debian, embora pouco limpo, no disco. Faça nele o Chroot:

# LANG= chroot /mnt/debinst /bin/bash

C.4.4.1. Partições a Montar

Você tem de criar /etc/fstab.

# editor /etc/fstab

Isto é um exemplo que você pode modificar à sua medida:

# /etc/fstab: informação estáctica do sistema de ficheiros
#
# file system    mount point   type    options                  dump pass
/dev/XXX         /             ext3    defaults                 0    0
/dev/XXX         /boot         ext3    ro,nosuid,nodev          0    2

/dev/XXX         none          swap    sw                       0    0
proc             /proc         proc    defaults                 0    0

/dev/fd0         /mnt/floppy   auto    noauto,rw,sync,user,exec 0    0
/dev/cdrom       /mnt/cdrom    iso9660 noauto,ro,user,exec      0    0

/dev/XXX         /tmp          ext3    rw,nosuid,nodev          0    2
/dev/XXX         /var          ext3    rw,nosuid,nodev          0    2
/dev/XXX         /usr          ext3    rw,nodev                 0    2
/dev/XXX         /home         ext3    rw,nosuid,nodev          0    2

Para montar todos os sistemas de ficheiros que tem especificado em /etc/fstab utilize mount -a, ou para montar os sistemas de ficheiros individualmente utilize:

# mount /path   # e.g.: mount /usr

Você pode montar o sistema de ficheiros proc várias vezes e em locais arbitrários, embora o /proc seja alterável. Se você não utilizou mount -a certifique-se que monta o proc antes de continuar.

# mount -t proc proc /proc

O comando ls /proc deve agora mostrar um directório não-vazio. Se isto falhar, você pode montar o proc fora da chroot:

# mount -t proc proc /mnt/debinst/proc

C.4.4.2. Configurar o Teclado

Para configurar o seu teclado:

# dpkg-reconfigure console-data

Note que o teclado não pode ser definido enquanto está no chroot, mas será configurado após o próximo reboot.

C.4.4.3. Configurar a Rede

Para configurar a rede, edite /etc/network/interfaces, /etc/resolv.conf, e /etc/hostname.

# editor /etc/network/interfaces 

Aqui estão alguns exemplos simples de /usr/share/doc/ifupdown/examples:

######################################################################
# /etc/network/interfaces -- ficheiro de configuração para ifup(8), ifdown(8)
# Veja a manpage interfaces(5) manpage para informação acerca de quais
# opções estão disponíveis.
######################################################################

# Nós queremos sempre o interface loopback.
#
auto lo
iface lo inet loopback

# Para utilizar dhcp:
#
# auto eth0
# iface eth0 inet dhcp

# Exemplo de uma configuração com IP estático: (broadcast e gateway são opcionais)
#
# auto eth0
# iface eth0 inet static
#     address 192.168.0.42
#     network 192.168.0.0
#     netmask 255.255.255.0
#     broadcast 192.168.0.255
#     gateway 192.168.0.1

Introduza o(s) servidor(es) de nomes e directivas de procura em /etc/resolv.conf:

# editor /etc/resolv.conf

Um simples /etc/resolv.conf:

search hqdom.local\000
nameserver 10.1.1.36
nameserver 192.168.9.100

Escreva o hostname do seu sistema (2 a 63 caracteres):

# echo DebianHostName > /etc/hostname

Se você tem várias placas de rede, você deve ordenar os nomes dos drivers dos módulos no ficheiro /etc/modules com a ordem desejada. Depois, durante o arranque cada placa será associada com um nome de interface (eth0, eth1, etc.) que você espera.

C.4.4.4. Configurar Fuso Horário, Utilizadores, e APT

Defina o seu fuso horário, crie um utilizador normal, e escolha as as suas fontes para o apt executando

# /usr/sbin/base-config new

C.4.4.5. Configurar Locales

Para configurar as suas definições de locale para utilizar outro idioma que não o Inglês, instale o pacote de suporte de locale e configure-o:

# apt-get install locales
# dpkg-reconfigure locales

NOTA: O apt tem de ser configurado antes, ie. durante a fase do base-config. Antes de utilizar locales com conjuntos de caracteres que não sejam ASCII ou latin1, por favor consulte o HOWTO de localização apropriado.

C.4.5. Instalar um Kernel

Se você pretende iniciar este sistema, você provavelmente quer um kernel Linux e um gestor de arranque. Identifique os kernels pré-empacotados disponíveis com

# apt-cache search kernel-image

E depois instale a sua escolhe utilizando o nome do pacote.

# apt-get install kernel-image-2.X.X-arch-etc

C.4.6. Configurar o Boot Loader

Para tornar o seu sistema Debian GNU/Linux iniciável, prepare o gestor de arranque para carregar o kernel com a sua nova partição raiz. Note que o debootstrap não instala um gestor de arranque, embora possa utilizar a apt-get dentro do seu chroot Debian para o fazer.

Veja info grub ou man lilo.conf para instruções acerca de como configurar o gestor de arranque. Se está a manter o sistema que utilizou para instalar Debian, apenas adicione uma entrada para a instalação Debian ao seu grub existente lilo.conf ou lilo.conf, pode também copia-lo para o novo sistema e edita-lo lá. Após acabar de editar, chame o lilo (lembre-se que vai utilizar lilo.conf relativo ao sistema de onde o chama).

Aqui está um /etc/lilo.conf simples como exemplo:

boot=/dev/hda6
root=/dev/hda6
install=menu
delay=20
lba32
image=/vmlinuz
label=Debian