2.2. Meios de Instalação

Esta secção vai ajuda-lo a determinar qual dos meios disponíveis pode utilizar para instalar Debian. Por exemplo, se tem uma drive de disquetes pode a utilizar para instalar Debian. Existe todo um capítulo dedicado aos meios de instalação, Capítulo 4, Obter o Meio de Instalação do Sistema, que lista as vantagens e desvantagem de cada meio. Pode querer mais tarde querer voltar a esta página quando chegar a essa secção.

2.2.1. CD-ROM/DVD-ROM

Nota

Cada vez que vir “CD-ROM” neste manual, aplica-se tanto a CD-ROMs como a DVD-ROMs, porque ambas as tecnologias, do ponto de vista do sistema operativo, são o mesmo, excepto no caso de drives muito antigas e não standard que não são nem SCSI nem IDE/ATAPI.

A instalação baseada em CD-ROM é suportada em algumas arquitecturas. Em máquinas que suportem o arranque a partir de CD-ROMs, poderá fazer uma instalação completa sem disquetes . Mesmo que o seu sistema não suporte o arranque a partir de CD-ROM, pode usar o CD-ROM em conjunção com as outras técnicas para instalar o seu sistema, assim que tiver arrancado por outros meios; veja o Capítulo 5, Iniciar a Instalação do sistema.

Nas DECstations, arrancar a partir de CD-ROM implica uma drive de CD-ROM SCSI capaz de trabalhar com blocos lógicos de 512 bytes. Muitas das drives de CD-ROM SCSI vendidas no mercado de PC não têm esta capacidade. Se a sua drive de CD-ROM tem um jumper intitulado “Unix/PC” ou “512/2048”, seleccione a posição “Unix” ou “512”.

O CD 1 inclui o instalador para as sub-arquitecturas r3k-kn02 (os modelos de DECstations 5000/1xx e 5000/240 baseadas em R3000 e também Personal DECstation baseados em R3000), o CD 2 inclui o instalador para a sub-arquitectura r4k-kn04 (as DECstations 5000/150 e 5000/260 baseadas em R4x00 e também as Personal DECstation 5000/50).

Para arrancar a partir de CD, lance o comando boot #/rzid na prompt do firmware, onde # é o número do dispositivo TurboChannel de onde deverá arrancar (3 na maior parte das DECstations) e id é a SCSI ID da drive CD-ROM.Se precisar de adicionar parâmetros adicionais, pode acrescenta-los usando a seguinte sintaxe:

boot #/rzid param1=value1 param2=value2 ...

2.2.2. Disco Rígido

Arrancar o sistema de instalação directamente do disco rígido é outra hipótese em muitas arquitecturas. Isto irá requerer que outro sistema operativo carregue o instalador para o disco rígido.

2.2.3. Rede

Pode também arrancar o seu sistema através de rede.

A instalação sem recurso a disco, utilizando arranque de rede numa rede local e montando todos os sistemas de ficheiros locais em NFS é outra opção.

Depois do kernel do sistema operativo estar instalado, pode instalar o resto do sistema através de algum tipo de ligação de rede (incluído PPP depois da instalação do sistema base), via FTP ou HTTP.

2.2.4. Un*x ou sistema GNU

Se estiver a correr outro sistema de tipo UNIX, você pode utiliza-lo para instalar Debian GNU/Linux sem precisar usar o debian-installer descrito no resto do manual. Este tipo de instalação pode ser útil para utilizadores com hardware que não é suportado de outra forma ou em sistemas que não se podem dar ao luxo de estarem em baixo. Se está interessado nesta técnica, veja a Secção C.4, “Instalar Debian GNU/Linux a partir de um sistema Unix/Linux”.

2.2.5. Sistemas de Armazenamento Suportados

Os discos de arranque Debian incluem um kernel que foi construído para maximizar o número de sistemas onde pode correr. Infelizmente isso resulta num kernel maior, que inclui muitos drivers que não serão utilizados na sua máquina (veja a Secção 8.4, “Compilando um Novo Kernel” para aprender a construir o seu próprio kernel). Suporte para o maior número possível de hardware é geralmente desejável, isto para que Debian possa ser instalado no leque mais variado possível de hardware.