3.1. Vista Geral do Processo de Instalação

Primeiro, apenas uma nota sobre re-instalações. Com debian, a circunstância em que você necessita de uma reinstalação completa do seu sistema é muito rara; talvez por falha mecânica do disco rígido na maior parte dos casos.

Muitos sistemas operativos usuais podem necessitar de uma instalação completa quando ocorrem falhas críticas ou em actualizações para novas versões do SO. Mesmo quando não é necessária uma instalação completamente nova, muitas vezes os programas utilizados são reinstalados para funcionarem correctamente no novo SO.

Em Debian GNU/Linux, é muito provável que o seu SO possa ser reparado em vez de ser substituído se as coisas correrem mal. As actualizações nunca precisam de uma instalação completa; Podem-se sempre fazer actualizações no local. E os programas são quase sempre compatíveis com as sucessivas versões do SO. Se uma nova versão do programa necessitar de software de suporte mais recente, o sistema de pacotes da Debian assegura-se que todo o software necessário é automaticamente identificado e instalado. O ponto é que, muito esforço tem sido empreendido para evitar a necessidade de reinstalação, por isso pense nisso como a sua última opção. O instalador não é projectado para se reinstalar sobre o sistema operativo já existente.

Aqui está um roadmap para as etapas que você vai tomar durante o processo de instalação.

  1. Salvaguardar todos os dados existentes ou documentos que estão no disco rígido onde está a planear instalar.

  2. Recolher informação sobre o seu computador e qualquer documentação necessária, antes de começar com a instalação.

  3. Criar espaço para partições para o Debian no seu disco rígido.

  4. Localizar e/ou fazer o download do instalador e de alguns ficheiros de drivers específicos que a sua máquina necessite (excepto utilizadores do CD Debian).

  5. Preparar tapes/disquetes/sticks USB de arranque, ou colocar ficheiros de arranque (a maior parte dos utilizadores do CD Debian conseguem iniciar automaticamente de um dos cds).

  6. Arrancar a partir do instalador de sistema.

  7. Configurar um interface de rede.

  8. Abrir uma ligação ssh para o novo sistema.

  9. Ligar um ou mais DASDs (Direct Access Storage Device).

  10. Criar e montar as partições nas quais Debian vai ser instalado.

  11. Visualizar o download/instalação/setup automático do sistema base.

  12. Instalar um gestor de arranque que possa iniciar o Debian GNU/Linux e/ou o seu sistema existente.

  13. Carregar o novo sistema instalado pela primeira vez, e fazer algumas configurações iniciais do sistema.

  14. Abrir uma ligação ssh para o novo sistema.

  15. Instalar programas adicionais (tarefas e/ou pacotes), ao seu critério.

Se tiver problemas durante a instalação, ajuda saber quais os pacotes que estão envolvidos em cada etapa. Introduzindo o actor principal do software em questão neste drama da instalação:

O software instalador, debian-installer, é a principal preocupação deste manual. Ele detecta hardware e carrega os controladores apropriados, utiliza o dhcp-client para configurar a ligação de rede, e corre o debootstrap para instalar os pacotes da base do sistema. Muitos mais actores participam em pequenos papéis neste processo, mas o debian-installer já completou a sua tarefa quando você carrega o novo sistema pela primeira vez.

Durante o carregamento do novo sistema base, o base-config supervisiona a criação de utilizadores, configura o fuso horário (através do tzsetup), e configura o sistema de instalação de pacotes (utilizando o apt-setup). Depois lança o tasksel que pode ser utilizado para seleccionar grandes grupos de programas relacionados, ou permite correr o aptitude que permite que se escolham individualmente os pacotes de software.

Quando o debian-installer termina, antes do primeiro carregamento do sistema, tem apenas um sistema muito básico comandado por uma linha de comandos. O interface gráfico que mostra as janelas no seu monitor não será instalado a menos que você o seleccione durante as etapas finais da instalação, com o tasksel ou com o aptitude. É opcional porque muitos sistemas Debian GNU/Linux são servidores e não têm qualquer necessidade de ter um GUI para fazer o seu trabalho.