[ anterior ] [ Resumo ] [ Nota dos Direitos de Autor ] [ Índice ] [ próximo ]

Instalando Debian GNU Linux 2.1 para Motorola 680x0 - Capítulo 5
Métodos para instalar a Debian


Como você inicialmente instalará a Debian, existem diversos passos que deverá seguir, em ordem:

  1. Iniciando o sistema de instalação
  2. Configuração inicial do sistema
  3. Instalando o sistema básico
  4. Iniciando o recente sistema básico
  5. Instalando o resto do sistema

Cada passo pode ter múltiplos métodos. Note que diferentes plataformas possuem diferentes métodos disponíveis para isto: Este documento somente descreve os métodos disponíveis para Motorola 680x0.

O primeiro passo, inicializando o sistema de instalação da Debian, é geralmente concluído com as seguintes mídias:

Estas diferentes opções são descritas em Escolhendo sua mídia inicial de Boot, Secção 5.1.1. O primeiro boot é muitas vezes o mais problemático, dependendo do seu hardware. Assim, isto é descrito em Inicializando o sistema de instalação, Capítulo 6.

Após iniciar no Linux, o programa dbootstrap será iniciado e o guiará pelo segundo passo, a configuração inicial do sistema. Este passo é descrito em detalhes em Usando dbootstrap para configuração inicial do sistema, Capítulo 7.

O "sistema básico Debian" é um conjunto de pacotes que é o mínimo requerido para se executar a Debian, em modo de trabalho sozinho. Uma vez que você configurou e instalou o sistema básico, sua máquina pode trabalhar no que conhece. O sistema básico da Debian pode ser instalado pelas seguintes mídias: disquetes, disco rígido, CD-Rom, ou por um servidor NFS. dbootstrap executará esta instalação; isto é descrito em ``Instalar o Sistema Básico'', Secção 7.13.

O passo final é a instalação do resto do sistema da Debian. Isto inclui as aplicações e documentos que você utilizará em seu computador, como o sistema X-Window, editores, shells, e ambientes de desenvolvimento. O resto do sistema Debian pode ser instalado pelo CD-Rom ou imagem dos arquivos da Debian (ou pela Internet, via HTTP, FTP ou NFS). Neste ponto, você estará usando as ferramentas simples de gerenciamento de pacotes da Debian, como o dselect ou apt-get. Este passo é descrito em Instalando o resto de seu sistema, Secção 7.23.

Note que a mídia utilizada no primeiro passo e a mídia utilizada no segundo passo não precisam ser a mesma. Isto é, se você iniciar pelo Rescue Floppy, instale o sistema básico via NFS e então instale o restante do sistema pelo CD-Rom. Se você está copiando o sistema de um site Internet, você pode iniciar e instalar o sistema básico pelos disquetes, instalando o sistema Debian completo pela Internet.

Abaixo você encontrará a descrição dos diferentes métodos de instalação, e a descrição dos arquivos requeridos pela instalação. Os arquivos que você utilizará, e quais os passos que você deverá fazer para preparar sua mídia de instalação, podem variar de acordo com o método de instalação selecionado para instalar a Debian.


5.1 Escolhendo sua mídia de instalação

Primeiro, escolha a mídia que utilizará para iniciar o sistema de instalação. Após, escolha o método que utilizará para instalar o sistema básico.


5.1.1 Escolhendo sua mídia inicial de Boot

Para iniciar o sistema de instalação, você tem as seguintes escolhas: disquetes, CD-Rom inicializável, inicialização pela Rede (TFTP), ou um boot loader não Linux.

A inicialização por disquetes é suportada por muitas plataformas. Amigas e Macs são uma exceção a esta regra, infelizmente. Inicialização através de disquetes é descrita em Inicializando através de disquetes, Secção 5.8. Para muitas arquiteturas m68k, a inicialização através de um sistema de arquivos locais é o método recomendado.

A inicialização pelo CD-Rom é um dos meios mais fáceis de instalação. Isto é especialmente verdade em sistemas VMEbus BVME4000/6000. Se você não está com sorte e o kernel do CD-Rom não funciona, você deverá utilizar outra técnica. A instalação a partir de CD-Rom é descrita em Instalando a partir de um CD-Rom, Secção 5.4.

A inicialização através da rede requer que você tenha um servidor TFTP, um servidor RARP e uma conexão de rede suportada pelos disquetes de inicialização. Este método de instalação é descrito em Inicializando através do TFTP, Secção 5.5.

A inicialização através de sistemas operacionais existentes é a opção mais conveniente; para muitos sistemas este é o único método de instalação suportado. Este método é descrito em Instalando a partir de um disco rígido, Secção 5.3.


5.1.2 Escolhendo a mídia para instalar o básico

O sistema básico pode ser instalado pelos seguintes meios: pelos disquetes (Instalando o sistema básico através de disquetes, Secção 5.9), por um CD-Rom(Instalando a partir de um CD-Rom, Secção 5.4), por um servidor NFS (Instalando através do NFS, Secção 5.6), ou através de um disco rígido local (Instalando a partir de um disco rígido, Secção 5.3). Você deverá escolher qual destes métodos são suportados pelo computador, e qual é o mais conveniente.


5.2 Descrição dos arquivos de instalação do sistema

Esta seção contém uma lista de arquivos que encontrará no diretório disks-m68k. Você não precisará copiar todos estes arquivos; isto depende do método de inicialização e mídia de instalação do sistema básico que você escolheu.

Muitos arquivos são imagens de discos flexíveis; isto é, um arquivo simples que é gravado para o disco para criar o disquete necessário. Estas imagens, obviamente, dependem do tamanho da unidade de discos flexíveis, como 1.4MB, 1.2MB, ou 720KB. No qual os tamanhos são disponíveis dependendo da plataforma (i.e. unidades de 720Kb são específicas da Atari). As imagens para as unidades de 1.4MB tem 14 dentro do nome do arquivo, imagens de 1.2MB tem 12 dentro do nome do arquivo, 720Kb tem 72 no nome.

Se você estiver usando um navegador web ou um computador conectado na rede para ler este documento, você pode copiar estes arquivos clicando em cima de seus nomes. Dependendo do seu navegador, você pode precisar fazer alguma ação especial para copiar direto para um arquivo, em modo raw binário. Por exemplo, no Netscape você precisa segurar a tecla shift pressionada enquanto clica na URL para copiar o arquivo. Arquivos podem ser copiados pelas URLs neste documento, ou você pode obte-los de ftp://ftp.br.debian.org/debian/dists/slink/main/disks-m68k/current/, ou dos diretórios correspondentes em um de seus Sites de espelhamento Debian.

amiga/resc1440.bin, atari/resc1440.bin, atari/resc720.bin, mac/resc1440.bin, bvme6000/resc1440.bin, mvme162/resc1440.bin, mvme167/resc1440.bin -- As imagens do Rescue Floppy
Estas são as imagens do Rescue Floppy. O Rescue Floppy é utilizado para instalação inicial e para emergências, tal como se seu sistema não inicializar por algum motivo. Então é recomendado gravar o arquivo de image para um disquete mesmo se você não estiver usando disquetes para instalação.

Se você tem uma unidade Atari de baixa densidade, você pode usar atari/resc720.bin. Você também precisará do root.bin descrito abaixo.

amiga/drv1440.bin, atari/drv1440.bin, atari/drv720.bin, mac/drv1440.bin, bvme6000/drv1440.bin, mvme162/drv1440.bin, mvme167/drv1440.bin -- as imagens do Drivers Floppy
Estas são as imagens dos Drivers Floppy. Elas contém os módulos do kernel, ou drivers, para todos os tipos de hardwares que não são necessários no boot inicial. Você será perguntado para escolher estes drivers durante o processo de instalação.

Se você utiliza uma imagem especial do Rescue Floppy, você precisará usar o Drivers Floppy correspondente.

common/base2_1.tgz (recomendado), ou common/base14-1.bin, common/base14-2.bin, common/base14-3.bin, common/base14-4.bin, common/base14-5.bin, common/base14-6.bin , ou common/base72-1.bin, common/base72-2.bin, common/base72-3.bin, common/base72-4.bin, common/base72-5.bin, common/base72-6.bin, common/base72-7.bin, common/base72-8.bin, common/base72-9.bin -- as imagens do sistema básico
Estes arquivos contém o sistema básico que será instalado na sua partição Linux durante o processo de instalação. Eles são o mínimo requerido para a instalação do resto dos pacotes. O arquivo common/base2_1.tgz é para instalações que não utilizem disquetes, i.e., CD-Rom, disco rígido ou NFS.

amiga/amigainstall.lha (Amiga), atari/install.lzh (Atari), ou mac/Install.sit.hqx (Mac) -- Instaladores do Sistema Operacional
Arquivos para você descompactar no seu disco local do sistema operacional pré-existente. Eles contém partes do processo de instalação da Debian.

amiga/rootamiga.bin, atari/root.bin, mac/root.bin, bvme6000/root.bin, mvme162/root.bin, mvme167/root.bin -- imagem root
Este arquivo contém a imagem do sistema de arquivos temporário que será carregado na memória quando você iniciar a instalação. Este arquivo é usado por instalações a partir de discos rígidos e CD-Rom.

Ele também é usado casos onde o sistema de arquivos root não pode ser gravado no Rescue Floppy por qualquer razão. Se possuir uma unidade de baixa densidade no Atari, você precisará do root.bin.

bvme6000/tftplilo.bvme, bvme6000/tftplilo.conf, mvme162/tftplilo.mvme, mvme162/tftplilo.conf, mvme167/tftplilo.mvme, mvme167/tftplilo.conf -- imagens de inicialização TFTP e arquivos de configuração
Imagem de boot usada para inicialização através da rede, veja Inicializando através do TFTP, Secção 5.5. Geralmente, eles contém o Kernel do Linux e o sistema de arquivos root.bin Para VME, o suporte TFTP consistem nos programas de carregamento do Linux e arquivos de configuração

install.txt, install.html -- Manual de instalação
Este arquivo que está lendo agora, em texto plano ou formato HTML.

amiga/install.txt, atari/install.txt, mac/install.txt, bvme6000/install.txt, mvme162/install.txt, mvme167/install.txt -- Guia de instalação
Referência rápida descrevendo a instalação nos sistemas correspondentes passo a passo, como uma versão condensada das seções 5 - 7 deste manual.

atari-fdisk.txt amiga-fdisk.txt mac-fdisk.txt pmac-fdisk.txt
Instruções de uso para os programas de particionamento disponíveis.

basecont.txt
Lista de conteúdo do sistema básico.

md5sum.txt
Lista de checksums MD5 dos arquivos binários. Se você tem o programa md5sum, pode-se assegurar que seus arquivos não estão corrompidos executando md5sum -v -c md5sum.txt


5.3 Instalando a partir de um disco rígido

Em muitos casos, você pode iniciar através de um sistema operacional existente. Você pode também iniciar o sistema de instalação utilizando outros meios, mas instale o sistema básico pelo disco rígido.


5.3.1 Instalando a partir do AmigaOS

Use os seguintes passos para instalar a Debian em uma configuração AmigaOS pré-existente.

  1. Obtenha os arquivos amiga/amigainstall.lha e common/base2_1.tgz.
  2. Descompacte amigainstall.lha em uma partição com no mínimo 10MB de espaço livre. Nós recomendamos você descompactar no diretório principal.
  3. Após descompactar, você deverá ter um diretório Debian. Mova common/base2_1.tgz para o diretório debian. Não renomeie nenhum arquivo neste diretório.
  4. Grave o nome da partição Linux para a localização onde seu novo diretório debian se encontra. Veja Nomes dos dispositivos no Linux, Secção 4.3 para mais informações sobre a nomeação de partições no Linux.
  5. Prepare suas partições para o Linux. Veja Particionando antes da instalação, Secção 4.6.
  6. No Workbench, inicie o processo de instalação do Linux clicando duas vezes no ícone ''StartInstall'' no diretório debian.

Você pode ter que pressionar a tecla Enter após o programa de instalação do Amiga mostrar na tela as informações sobre a depuração. Apos isto, a tela se tornará cinzenta, isto demorará poucos segundos para a próxima etapa uma tela preta com texto branco será mostrada, mostrando a inicialização do kernel. Estas mensagens podem rolar rapidamente para ser lidas, mas esta tudo OK. Após alguns segundos, o programa de instalação será iniciado automáticamente, assim voce pode continuar em Usando dbootstrap para configuração inicial do sistema, Capítulo 7.

Se, de outro lado, tiver problemas inicializando, veja Problemas no processo de inicialização, Secção 6.5.


5.3.2 Instalando através do Atari TOS

Use os seguintes passo apra instalar a Debian através de uma configuração Atari TOS pré-existente.

  1. Copie os arquivos atari/install.lzh e common/base2_1.tgz.
  2. Descompacte install.lzh em uma partição com no mínimo 10MB de espaço livre. Nós recomendamos descompactalo no diretório principal.
  3. Após a descompactação, você terá um diretório debian. Mova o arquivo common/base2_1.tgz para o diretório debian. Não renomeie nenhum arquivo deste diretório.
  4. Grave o nome da partição do Linux para a localização onde está seu novo diretório debian. Veja Nomes dos dispositivos no Linux, Secção 4.3 para mais informações sobre nomeação de partições no Linux.
  5. Prepare suas partições para o Linux, se você não fez isto ainda. Veja Particionando antes da instalação, Secção 4.6.
  6. No desktop GEM, inicie o processo de instalação do Linux com um duplo-clique no ícone ''bootstra.ttp'' no diretório debian e clique em ''Ok'' na caixa de diálogo opções no programa.

Você pode ter que pressionar a tecla Enter após o programa de inicialização do Atari mostrar diversas informações de depuração na Tela. Após isto, a tela se tornará cinzenta, isto pode demorar alguns segundos. A seguir, uma tela preta com texto em branco aparacerá mostrando a inicialização do Kernel. Estas mensagens podem rolar rápidamente para leitura, mas está "Ok". Após poucos segundos, o programa de instalação será iniciado automáticamente, assim você pode continuar abaixo em Usando dbootstrap para configuração inicial do sistema, Capítulo 7.

Se, por outro lado, tiver problemas inicializando, veja Problemas no processo de inicialização, Secção 6.5.


5.3.3 Instalando através do MacOS

Use os seguintes passos para instalar a Debian em sua configuração MacOS pré-existente.

  1. Obtenha os arquivos mac/Install.sit.hqx e common/base2_1.tgz.
  2. Descompacte Install.sit.hqx em uma partição com no mínimo 10 MB livres. Nós recomendamos descompactar este arquivo em um diretório superior de um volume com espaço suficiente.
  3. Após descompactar, voce terá um diretório debian. Mova common/base2_1.tgz para o diretório debian. Não renomeie nenhum arquivo neste diretório.
  4. Grave os nomes das partições Linux para a localização onde o seu novo diretório debian está. Veja Nomes dos dispositivos no Linux, Secção 4.3 para mais informações sobre a nomeação de partições Linux.
  5. Prepare suas partições para o Linux, se você não fez isto ainda. Veja Particionando antes da instalação, Secção 4.6.
  6. No desktop MacOS, inicie o processo de instalação do Linux com um duplo clique no ícone "Penguin Prefs" no diretório debian. O inicializador do Linux será iniciado. Vá até a opção "Settings" no menu "File" e selecione o kernel e imagens ramdisk no diretório debian clicando nos botões correspondentes no canto superior direito, e navegando em "file select dialog" (diálogo de seleção de arquivos) para localizar os arquivos. Feche a caixa "Settings", salve as configurações e inicie o programa de inicialização usando a opção "Boot Now" no menu "File".

O Penguin booter pode mostrar muitas informações de depuração na tela. Após isto, a tela pode ficar cinzenta, isto pode demorar alguns segundos. Após isto, uma tela preta com texto branco aparecerá mostrando a inicialização do Kernel. Estas mensagens podem rolar rápidamente na tela para serem lidas, mas está OK. Após alguns segundos, o programa de instalação será iniciado automáticamente, voce pode continuar abaixo em Usando dbootstrap para configuração inicial do sistema, Capítulo 7.

Se, por outro lado, voce tiver problemas inicializando, veja Problemas no processo de inicialização, Secção 6.5.


5.3.4 Instalando através de uma partição Linux

Você pode instalar a Debian através de uma partição ext2fs ou através de uma partição Minix. Esta técnica de instalação é apropriada se você esta trocando completamente seu sistema Linux atual pela Debian, por exemplo.

Note que a partição de onde você esta instalando não deverá ser a mesma que você esta instalando a Debian (e.g., /, /usr, /lib, e todas outras).

Para instalar através de uma partição Linux existentes, siga estas instruções:

  1. Obtenha os seguintes arquivos e coloque-os em um diretório na sua partição Linux. Use os arquivos maiores de acordo com sua arquitetura:
  2. Você pode utilizar qualquer outro método de boot funcional quando estiver instalando a partir de uma partição. O seguinte assume que você esta iniciando com disquetes; no entanto, qualquer meio de boot na instalação pode ser usado.
  3. Crie o Rescue Floppy como explicado em Criando disquetes através dos discos de imagem, Secção 5.10. Note que você não precisará do Drivers Floppy.
  4. Insira o Rescue Floppy na sua unidade de disquetes e reinicie o computador.
  5. Vá para Inicializando o sistema de instalação, Capítulo 6.


5.4 Instalando a partir de um CD-Rom

Se você tiver um CD que é inicializável, e se a arquitetura de seu computador suporta boot a partir do CD-Rom, você não precisará de nenhum disquete. Atualmente, a única sub-arquitetura Motorola 680x0 que suporta a inicialização através do CD-ROM é BVME6000. Então ponha o CD-Rom na unidade e reinicie o computador. Agora vá até Inicializando o sistema de instalação, Capítulo 6.

Até mesmo se você não iniciar pelo CD-Rom, você poderá instalar os arquivos básicos da Debian pelo CD. Simplesmente inicialize o computador usando uma das técnicas de instalação; quando chegar o momento de instalar o sistema básico e qualquer pacote adicional, indique que estes arquivos estão localizados na unidade de CD-ROM como descrito em ``Instalar o Sistema Básico'', Secção 7.13.


5.5 Inicializando através do TFTP

Voce precisará configurar dois servidores: um servidor RARP e um servidor TFTP. O Reverse Address Resolution Protocol (RARP) é como seu cliente conseguira o endereço IP para seu uso. Outro meio é usar o protocolo BOOTP. Ainda há outra alternativa em sistemas VMEbus: O endereço IP pode ser configurado manualmente no boot ROM. O Trivial File Transfer Protocol (TFTP) é usado para servir a imagem de inicialização para o cliente. Teóricamente, qualquer servidor, em qualquer plataforma, que implementa estes protocolos podem ser usados. Em um exemplo nesta seção, nós colocamos comandos para SunOS 4.x, SunOS 5.x (a.k.a. Solaris), e GNU/Linux.


5.5.1 Configurando o RARP

Para configurar RARP, voce precisará conhecer os endereços ethernet do cliente (a.k.a. the MAC address). Se você não conhecelas, você pode inicialize no modo "Rescue" (resgate - e.g., através do Rescue Floppy) e use o comando /sbin/ifconfig eth0.

No GNU/Linux você precisará conhecer a tabela do RARP do kernel. Para fazer isto execute:

      /sbin/rarp -s nome-do-hosto-do-cliente endereço-enet-cliente
      /usr/sbin/arp -s Ip-do-cliente endereço-enet-cliente

No SunOS, você precisa se certificar que o endereço ethernet do hardware para o cliente esta listado no banco de dados "ethers" (ou no arquivo /etc/ethers, ou via NIS/NIS+) e no banco de dados "hosts". Então você precisará reiniciar o daemon RARP. no SunOS4, digite o comando (como root): /usr/etc/rarp -a; no SunOS 5, use /usr/sbin/rarpd -a.


5.5.2 Ativando o servidor TFTP

Para deixar o servidor TFTP pronto para o funcionamento, você primeiro deve ter certeza que o programa tftpd está ativado. Este é usualmente ativado se tiver a seguinte linha em /etc/inetd.conf:

     tftp dgram udp wait root /usr/etc/in.tftpd in.tftpd -l /boot

Olhe neste arquivo e relembre o diretório que é usado como caminho de in.tftpd; você precisará disto abaixo. O argumento -l ativa muitas versões de in.tftpd para registrar todas as requisições para os logs do sistema; isto é útil para diagnosticar problemas de inicialização. Se você teve que mudar /etc/inetd.conf, será necessário notificar o processo em execução inetd que o arquivo voi alterado. Em uma máquina Debian, execute /etc/init.d/netbase reload; em outras máquinas, procure a identificação do processo por inetd, e execute kill -1 inetd-pid


5.5.3 Mova imagens TFTP no local

Próximo, coloque a imagem de inicialização TFTP que precisa, como encontrado em Descrição dos arquivos de instalação do sistema, Secção 5.2, no diretório de inicialização de imagens tftpd. Geralmente este diretório será o /boot na Debian, e /tftpboot em outros sistemas operacionais. Então, você deverá fazer um link através daquele arquivo para o arquivo no qual tftpd será usado para inicializar um cliente particular. Infelizmente o nome do arquivo é determinado pelo cliente TFTP, e assim não há padrões. Frequentemente, o arquivo que o cliente TFTP procura é IP-do-cliente-em-hex-arquitetura-do-cliente. Para computar IP-do-cliente-em-hex, ele obtem cada byte do endereço IP do cliente e traduz em valores hexadecimais. Se você tem uma outra máquina com o programa bc, você pode usar o programa. Primeiro use o comando obase=16 para configurar a saida em hexadecimal, então entre com os componentes individuais do IP do cliente um de cada vez. Como para arquitetura-do-cliente, tente alguns outros valores. Uma vez que você tiver determinado o nome, crie um link como este: ln /boot/tftpboot.img /boot/nome-do-arquivo.

Sistemas BVM e Motorola VMEbus procuran pelos arquivos de acordo com a seguinte lista:

Próximo configure seu servidor boot ROMs ou BOOTP para inicialmente carregar o arquivo tftplilo.bvme ou tftplilo.mvme através do servidor TFTP. Veja o arquivo tftplilo.txt para sua sub-arquitetura para informações sobre configurações específicas no sistema. Agora você está pronto para inicializar seu sistema. Após inicializar em sistemas VMEbus, você será presenteado com o aviso de comando LILO Boot:. No aviso "LILO Boot:" entre com um dos seguintes comandos para inicializar o Linux e a própria instalação da Debian usando a emulação de terminal vt102:

Adiciolamente, você pode digitar o comando "TERM=vt100" para usar a emulação de terminal vt100, e.g., "i6000 TERM=vt100 Enter".


5.6 Instalando através do NFS

Devido a natureza deste método de instalação, somente o sistema básico pode ser instalado via NFS. Você precisará ter os disquetes de recuperação e de drivers disponíveis localmente usando um dos métodos descritos anteriormente. Para instalar o sistema básico via NFS, você terá que usar a instalação normal como explicado em Usando dbootstrap para configuração inicial do sistema, Capítulo 7. Não se esqueça de inserir o módulo (driver) para sua placa Ethernet, e o módulo para o sistema de arquivos NFS.

Quando dbootstrap lhe perguntar onde os arquivos de sistema básico estão localizados(``Instalar o Sistema Básico'', Secção 7.13), escolha NFS, e siga as instruções.


5.7 Instalando através de Disquetes

A instalação através de disquetes, se suportada pelo seu sistema, é o melhor método de se ter, no entanto não é geralmente o mais preferido ou o meio mais rápido para instalar. Existem diferentes graus de instalação de disquetes, que são descritos abaixo.


5.8 Inicializando através de disquetes

A inicialização através dos disquetes é um processo simples. Simplesmente copie a imagem Rescue Floppy e a imagem Drivers Floppy. Em muitos casos pode ser requerido que decida qual tipo de imagem de disco utilizar, como discutido em Descrição dos arquivos de instalação do sistema, Secção 5.2. Esta seção pode te ajudar a decidir qual imagem de disco utilizar. Crie os disquetes com estas imagens como descrito em Criando disquetes através dos discos de imagem, Secção 5.10.

Se você precisar também, modifique o Rescue Floppy; veja Trocando o kernel do Rescue Floppy, Secção 9.3.

A inicialização através do Rescue Floppy é suportada atualmente somente para Atari e VME (com um driver de disquetes SCSI em VME). No Macintosh, você pode inicializar através da imagem de disquetes HFS fornecido como uma imagem no formato DiskCopy, que é uma imagem de disco raw contendo a imagem Rescue Floppy.


5.9 Instalando o sistema básico através de disquetes

Nota: Este não é um meio recomendado de se instalar a Debian, porque disquetes são geralmente um tipo de mídia pouco confiável. É somente recomendado se você não tiver sistema de arquivos ou qualquer outro disco rígido existente em seu sistema. A instalação do sistema básico através de disquetes não é suportadas em Amiga e sistemas Macintosh.

Complete estes passos:

  1. Obtenha estas imagens de disco (estes arquivos são descritos em maiores detalhes em Descrição dos arquivos de instalação do sistema, Secção 5.2):
  2. Obtenha disquete suficientes para a gravação dos disquetes de imagem que precisará gravar.
  3. Crie os disquetes, como discutido em Criando disquetes através dos discos de imagem, Secção 5.10.
  4. Insira o disquete de resgate na sua unidade de disquetes e reinicie o computador.
  5. Vá até Inicializando o sistema de instalação, Capítulo 6


5.10 Criando disquetes através dos discos de imagem

Imagem de disco são arquivos que contém o conteúdo completo de um disco flexível em formato raw (simples). As imagens de disco, como o resc1440.bin, não pode ser simplesmente copiado para o disquete. Um programa especial é usado para gravar os arquivos de imagem para o disquete em formato simples. Isto é requerido porque estas imagens são representações em formato simples do disco; é requerido para fazer a cópia do setor de dados do arquivo no disquete.

Existem diferentes técnicas para criar disquetes através das imagens de disco, que depende de sua plataforma. Esta seção descreve como criar discos flexíveis através dos discos de imagem para diferentes plataformas.

Não importa qual é o método que utiliza para criar seus disquetes, apenas se lembre de protege-los contra gravação após gravar os discos de imagem, para evitar que sejam danificados acidentalmente.


5.10.1 Gravando imagens de disco através do sistema Linux ou Unix

Para gravar a imagem de disco para os disquetes, você provavelmente precisará acessar o sistema como root. Coloque um disquete em bom estado na unidade de discos. Após isto, use o comando:

     dd if=arquivo of=/dev/fd0 bs=512 conv=sync ; sync

onde:

Muitos sistemas tentam montar automaticamente um disquete quando você o coloca em sua unidade. Você deverá desativar esta característica antes da estação de trabalho ser utilizado para gravar um disquete em modo simples. Infelizmente isto pode variar dependendo de seu sistema operacional. No Solaris, tenha certeza que o vold não esta sendo executado. Em outros sistemas, pergunte ao seu administrador.


5.10.2 Gravando imagens de disco em sistemas Atari

Voce deverá procurar o programa atari/rawwrite.ttp no diretório de imagens de discos flexíveis. Inicie o programa clicando duas vezes no ícone do programa, e digite o nome do arquivo de imagem que voce deseja gravar para o disquete na caixa de diálogo do programa de linha de comando TOS.


5.10.3 Gravando imagens de disco em sistemas Macintosh

Usando o DiskCopy (versão 4.2 ou superior), você pode criar um disquete MacOS através do arquivo mac/Debian-m68k-2.1-Mac.img no mesmo diretório que os arquivos do instalador Macintosh. Inicie o DiskCopy e selecione a opção "Make a Floppy" (criar um disquete) no menu "Utilities". Selecione o arquivo de imagem de disco na caixa de diálogo 'file select'.

Não existem aplicações MacOS para gravar as imagens mac/resc1440.bin e mac/drv1440.bin para os disquetes (e aqui não nada a ser feito como voce não pode usar estes disquetes para iniciar o sistema de instalação ou instalar o kernel e módulos através do Macintosh). No entanto, estes arquivos são necessários para a instalação do sistema operacional e módulos, após este processo.

Tenha cuidado sempre durante a transferência de arquivos no Macintosh. Arquivos com o sufixo .bin ou .tgz sempre necessitam ser transferidos usando modo binário.


5.10.4 Gravando imagens de disco através do DOS, Windows, ou OS/2

Se você tiver acesso a um PC executando um destes sistemas -- nós podemos nunca admitir isso, mas estes existem -- você pode usa-los para gravar as imagens de disco.

Você encontrará o programa rawrite2.exe na seção i386 dos arquivos da Debian, no mesmo diretório das imagens de disquetes. Existem também o arquivo rawrite2.txt que contém instruções de uso do rawrite2.


5.10.5 Confiabilidade em discos flexíveis

O maior problema de pessoas que instalam a Debian pela primeira vez é sobre a confiança nos disquetes.

O Rescue Floppy é o disquete que pode ter o pior problema, porque ele é lido diretamente pelo hardware, antes do Linux inicializar. Freqüentemente, o hardware não pode ler a confiança do disquetes de driver do Linux, e poderá parar sem mostrar nenhuma mensagem de erro caso ler dados incorretos do disco. Estas falhas podem também acontecer no Drivers Floppy e nos disquetes do sistema básico, a maioria deles são indicados por várias mensagens sobre erros de I/O do disco.

Se você esta tentando problemas de isntalação com um disquete em particular, a primeira coisa que deve fazer é re-copiar o disco de imagem afetado e grava-la em outro disquete. Simplesmente reformatando o antigo disquete não será suficiente, até mesmo se parecer que o disquete foi foi reformatado e gravado sem erros. Em muitos casos é útil tentar gravar o disquete em um computador diferente.

Um usuário relatou que tentou gravar uma imagem para o disquete três vezes antes de ter sucesso, e então tudo funcionou corretamente com o terceiro disquete.

Outro usuários tem relatado que simplesmente reiniciando o computador algumas vezes com o mesmo disquete na unidade, obtiveram sucesso na inicialização. Isto tudo é devido a bugs de hardware ou firmware de unidades de disquetes.


[ anterior ] [ Resumo ] [ Nota dos Direitos de Autor ] [ Índice ] [ próximo ]
Instalando Debian GNU Linux 2.1 para Motorola 680x0
versão 2.1.11, 28 August, 1999
Bruce Perens
Sven Rudolph
Igor Grobman
James Treacy
Adam Di Carlo