C.5. Programas de Particionamento Debian

Diversas variedades de programas de particionamento foram adaptados pelos Debian developers para funcionar com vários tipos de discos rígidos e arquitecturas de computadores. De seguida está uma lista de programa(s) para a sua arquitectura.

partman

Ferramenta de particionamento recomendada em Debian. Este canivete suíço também pode redimensionar partições, criar sistemas de ficheiros e atribuir-lhes pontos de montagem.

cfdisk

Um particionador de disco de ecrã inteiro de simples utilização para o resto de nós.

Note que cfdisk não compreende de todo partições FreeBSD, e, novamente, como resultado os nomes dos dispositivos podem ser diferentes.

Um destes programas será corrido por omissão quando seleccionar Particionar discos (ou similar). Pode ser possível utilizar uma ferramenta de particionamento diferente a partir da linha de comandos no VT2, mas isto não é recomendado.

C.5.1. Particionar para IA-64

O particionador de disco partman é a ferramenta de particionamento por omissão para o instalador. Gere o conjunto de partições e os seus pontos de montagem para assegurar que os discos e os sistemas de ficheiros estão devidamente configurados para uma instalação com sucesso. Na realidade utiliza o parted para fazer o particionamento no disco.

Formatos reconhecidos EFI

O firmware IA-64 EFI suporta dois formatos de tabelas de partições (ou disk label), GPT e MS-DOS. MS-DOS, o formato típico utilizado em PCs i386, já não é recomendado para sistemas IA-64. Embora o instalador também disponibilize o cfdisk, deverá utilizar apenas o parted porque somente este consegue lidar correctamente com ambas as tabelas GPT e MS-DOS.

As receitas de particionamento automático para o partman alocam uma partição EFI como primeira partição no disco. Também poderá configurar a partição sob o Guia de particionamento do menu principal numa maneira semelhante à configuração da partição de swap.

O particionador partman lidará com a maioria dos layouts de discos. Para aqueles casos raros onde é necessário configurar os discos manualmente, pode utilizar a consola como é descrito abaixo e corra directamente o utilitário parted utilizando a sua interface na linha de comandos. Assumindo que quer apagar todo o disco e criar a tabela GPT e algumas partições, pode então utilizar algo similar à seguinte sequência de comandos:

      mklabel gpt
      mkpartfs primary fat 0 50
      mkpartfs primary linux-swap 51 1000
      mkpartfs primary ext2 1001 3000
      set 1 boot on
      print
      quit

Isto cria uma nova tabela de partições, e três partições para serem usadas como partição de arranque EFI, espaço swap, e um sistema de ficheiros root. Finalmente ajusta a flag de arranque na partição EFI. As partições são especificadas em Megabytes, com offsets de início e fim a partir do início do disco. Note que formatando o espaço swap com parted poderá demorar alguns minutos para terminar, devido ao scan feito ao disco para maus blocos.

C.5.2. Requisitos para a Partição do Gestor de Arranque

O ELILO, o gestor de arranque do IA-64, necessita de uma partição que tenha um sistema de ficheiros FAT com a flag boot. A partição tem de ser suficientemente grande para conter o gestor de arranque e quantos kernel ou RAMdisks desejar ter para arrancar. O mínimo de espaço são cerca de 20MB, mas se espera correr vários kernels, então 128MB será a melhor opção.

O gestor de arranque e a consola EFI suportam completamente a tabela GPT e por isso não é necessário que a partição de arranque seja a primeira partição nem que esteja no mesmo disco. Isto é conveniente se você se esquecer de alocar a partição e só descobrir depois de ter formatado as outras partições no(s) seu(s) disco(s). O particionador partman procura uma partição EFI ao mesmo tempo que procura uma partição devidamente configurada como root. Isto dá-lhe a oportunidade de corrigir a disposição do disco antes que a instalação de pacotes comece. A maneira mais simples de corrigir esta omissão é encolher a última partição do disco para perfazer espaço suficiente para adicionar uma partição EFI.

É bastante recomendado que a partição de arranque EFI esteja no mesmo disco que o sistema de ficheiros root.

C.5.3. Partições de Diagnóstico EFI

O firmware EFI é substancialmente mais sofisticado que as usuais BIOS vistas na maioria dos PCs x86. Alguns vendedores de sistemas tiram vantagem da habilidade de EFI aceder a ficheiros e executar programas a partir dos sistemas de ficheiros para guardar diagnósticos e utilidades do sistema de gestão baseado em EFI. É um sistema de ficheiros separado do formato FAT no sistema do disco. Consulte a documentação do sistema e acessórios que vêm como o sistema para mais detalhes. A altura mais simples de fazer um diagnóstico à partição é ao mesmo tempo que prepara a sua partição de arranque EFI.