D.1. Dispositivos em Linux

Em Linux podem ser encontrados vários ficheiros especiais sob o directório /dev. Estes ficheiros são chamados de ficheiros de dispositivo e comportam-se de forma diferente de ficheiros normais. Os tipos mais comuns de ficheiros de dispositivo são para os dispositivos de bloco e de caracteres. Estes ficheiros são um interface para o driver (parte do kernel Linux) que por sua vez acede ao hardware. Outro, menos comum, tipo de ficheiro de dispositivo é o chamado pipe. Os ficheiros de dispositivos mais importantes estão listados nas tabelas abaixo.

fd0 Primeira Drive de Disquete
fd1 segunda Drive de Disquete

sda Primeiro disco rígido
sdb Segundo disco rígido
sda1 Primeira partição do primeiro disco rígido
sdb7 Sétima partição do segundo disco rígido

sr0 Primeiro CD-ROM
sr1 Segundo CD-ROM

ttyS0 Porto Série 0, COM1 em MS-DOS
ttyS1 Porta série 2, COM2 em MS-DOS
psaux Dispositivo de rato PS/2
gpmdata Pseudo dispositivo, daemon repetidor de informação do GPM (rato)

cdrom Link simbólico para a drive de CD-ROM
mouse Link simbólico para o ficheiros de dispositivo mouse

null Tudo o que for escrito para este dispositivo irá desaparecer
zero É possível ler infinitamente zeros a partir deste dispositivo

D.1.1. Preparando o Seu Rato

O rato pode ser utilizado quer no ambiente de consola Linux (com gpm) quer no ambiente de janelas X. Normalmente, é uma simples questão de instalar o gpm e o próprio servidor X. Ambos devem ser configurados para utilizarem como dispositivo de rato /dev/input/mice. O protocolo correcto do rato é chamado exps2 no gdm, e ExplorerPS/s no X. Os respectivos ficheiros de configuração são /etc/gpm.conf e /etc/X11/xorg.conf.

Têm de ser carregados certos módulos do kernel para que o seu rato funcione. Na maioria dos casos os módulos correctos são auto-detectados, mas não o são sempre para o antigo rato série e bus[23], que são extremamente ratos excepto em computodores muito antigos. O sumário dos módulos do kernel Linux que são necessários para diferentes tipos de ratos:

Módulo Descrição
psmouse Rato PS/2 (deverá ser auto-detectado)
usbhid Rato USB (deverá ser auto-detectado)
sermouse A maioria dos ratos série
logibm Rato bus ligado a placa adaptadora Logitech
inport Rato bus ligado a placa ATI ou Microsoft InPort

Para carregar um módulo de controlador de rato, pode utilizar o comando modconf (a partir do pacote com o mesmo nome) e ver na categoria kernel/drivers/input/mouse.

Os kernel modernos dão-lhe a capacidade de emular um rato de três botões mesmo que o seu rato tenha apenas um botão. Apenas junte as seguintes linhas ao ficheiro /etc/sysctl.conf.

# emulação de rato de 3-botões
# ligar a emulação
/dev/mac_hid/mouse_button_emulation = 1
# Enviar o sinal de botão do meio com a tecla F11
/dev/mac_hid/mouse_button2_keycode = 87
# Enviar o sinal do botão direito do rato com a tecla F12
/dev/mac_hid/mouse_button3_keycode = 88
# Para teclas diferentes, utilize showkey para lhe dizer qual é o código.



[23] Os ratos série geralmente tem um conector em forma de D com 9 buracos; o bus rato tem um conector redondo de 8 pinos, não deve ser confundido com o conector redondo de 6 pinos de um rato PS/2 ou o conector redondo de 4 pinos de um rato ADB.