4.3. Criar Disquetes a partir de Imagens de Disco

As disquetes de arranque são geralmente utilizadas como último recurso para iniciar o instalador em hardware que não arranca de CD ou por outros meios.

É relatado que falha ao arrancar a partir da disquete nas drives USB de disquetes Mac.

Imagens de disco são ficheiros que contêm o conteúdo completo das disquetes de arranque em formato raw. Imagens de disco, tais como boot.img, não podem simplesmente ser copiadas para disquetes. É utilizado um programa especial para escrever os ficheiros da imagem para disquetes em modo raw. Isto é necessário porque estas imagens são representações raw do disco; é necessário que seja feita uma cópia do sector dos dados deste ficheiro para a disquete.

Existem diferentes técnicas para criar disquetes a partir de imagens de disco. Esta secção descreve como criar disquetes a partir de imagens de disco em diferentes plataformas.

Antes de você poder criar as disquetes, primeiro você tem de fazer o download delas a partir de um dos mirrors Debian, conforme é explicado em Secção 4.2, “Download dos Ficheiros a partir dos Mirrors Debian”.

Não importa que método estiver a utilizar para criar as suas disquetes, assim que tiver escrito nelas deve lembrar-se de carregar na patilha de protecção contra escrita, para se assegurar que não serão involuntariamente danificadas.

4.3.1. Escrever Imagens de Disco a partir de um Sistema Linux ou Unix

Para escrever os ficheiros de imagem de disquete para as disquetes, você provavelmente necessitará de aceder ao sistema como root. Coloque uma disquete vazia em boas condições na drive de disquetes. De seguida, utilize o comando

$ dd if=ficheiro of=/dev/fd0 bs=1024 conv=sync ; sync

onde ficheiro é um dos ficheiros da imagem de disquete. /dev/fd0 é o nome normalmente utilizado para o dispositivo de disquetes, poderá ser diferente na sua máquina . O comando pode voltar à linha de comandos antes do Unix ter terminado de escrever na disquete, verifique se a luz de disquete em utilização na drive de disquetes está apagada e se o disco parou antes de remover a disquete da drive. Em alguns sistemas, terá de executar um comando para ejectar a disquete .

Alguns sistemas tentam automaticamente montar a disquete quando esta é colocada na drive. Você poderá ter de desactivar esta característica antes da máquina permitir efectuar a gravação da disquete em modo raw. Infelizmente, isto poderá variar consoante o sistema operativo.

Se está a escrever nas disquetes num Linux em powerpc, necessitará de as ejectar. O programa eject é o apropriado; você pode ter de o instalar.

4.3.2. Escrever Imagens de Disco a partir de DOS, Windows, ou OS/2

Se você tem acesso a uma máquina i386 ou amd64, pode utilizar um dos seguintes programas para copiar imagens para disquetes.

Os programas rawrite1 e rawrite2 podem ser utilizados em MS-DOS. Não é esperado que funcionem se tentar utilizar estes programas numa consola DOS no Windows ou fazendo duplo-click a partir do Explorador do Windows.

O programa rwwrtwin corre em Windows 95, NT, 98, 2000, ME, XP e provavelmente em versões posteriores. Para o utilizar terá de descompactar diskio.dll no mesmo directório.

Estes utilitários podem ser encontrados nos CD-ROMs Oficiais de Debian no directório /tools.

4.3.3. Escrever Imagens de Disco a partir de MacOS

Está disponível um AppleScript, Make Debian Floppy, para gravar disquetes a partir dos ficheiros de imagens de disco fornecidos. Poderá ser efectuado o download a partir ftp://ftp2.sourceforge.net/pub/sourceforge/d/de/debian-imac/MakeDebianFloppy.sit. Para utilizar, basta descompactar para o ambiente de trabalho, e então arrastar para cima qualquer ficheiro de imagem de disquete. Tem de ter o Applescript instalado e disponibilizado no gestor de extensões. Disk Copy irá solicitar confirmação para apagar a disquete e continuar com a gravação da imagem para lá.

Você pode também utilizar directamente o utilitário Disk Copy do MacOS, ou o suntar que é um utilitário livre. O ficheiro root.bin é um exemplo de uma imagem de disquete. Utilize um dos seguintes métodos para criar uma disquete a partir da imagem de disquetes com estes utilitários.

4.3.3.1. Escrever Imagens de Disco com Disk Copy

Se está a criar as imagens de disquetes a partir de ficheiros que estavam originalmente no CD oficial Debian GNU/Linux, então o Type e Creator já estão definidos correctamente. Os seguintes passos, Creator-Changer apenas são necessários se fez o download da imagem a partir de um mirror Debian.

  1. Obtenha Creator-Changer e utilize-o para abrir o ficheiro root.bin.

  2. Alterar o Creator para ddsk (Disk Copy), e o Type para DDim (imagem binária de disquete). Estes campos são sensíveis à capitalização.

  3. Importante: No Finder, use Get Info para expor a informação sobre a imagem de disquete encontrada pelo Finder, e marque com X a check box File Locked para que o MacOS fique impossibilitado de remover os blocos de arranque se a imagem for acidentalmente montada.

  4. Obtenha Disk Copy; se tem um sistema MacOS ou CD é muito provável que já lá esteja, caso contrário tente em http://download.info.apple.com/Apple_Support_Area/Apple_Software_Updates/English-North_American/Macintosh/Utilities/Disk_Copy/Disk_Copy_6.3.3.smi.bin.

  5. Execute Disk Copy, e seleccione UtilitiesMake a Floppy, e depois seleccione o ficheiro da imagem locked. Ser-lhe-á pedido que insira uma disquete, em seguida ser-lhe-á perguntado se quer mesmo apagá-la. Quando terminado a disquete deverá ser ejectada.

4.3.3.2. Escrever Imagens de Disco com suntar

  1. Obtenha suntar em . Inicie o programa suntar e seleccione Overwrite Sectors... do menu Special.

  2. Insira a disquete conforme pedido, pressione a tecla Enter (Começar no sector 0).

  3. Seleccione o ficheiro root.bin na caixa de diálogo de abertura de ficheiro.

  4. Depois da disquete ser criada com sucesso, seleccione FileEject. Se existirem quaisquer erros durante a escrita na disquete, simplesmente deite-a fora e tente com outra.

Antes de utilizar a disquete que criou, ajuste a patilha de protecção contra escrita! Caso contrário se você acidentalmente montá-la em MacOS, MacOS irá arruiná-la.