5.1. Arrancar o Instalador em S/390

5.1.1. Limitações de s390

Com o intuito de executar o sistema de instalação num S/390 é necessário uma rede funcional e uma sessão de ssh.

O processo de arranque começa com a configuração da rede que o alerta para vários parâmetros de rede. Se a configuração for bem sucedida, irá fazer login no sistema iniciando uma sessão de ssh que irá lançar o sistema de instalação standard.

5.1.2. Parâmetros de Arranque de s390

Em S/390 pode acrescentar parâmetros de arranque no ficheiro parm. Este ficheiro pode estar tanto em formato ASCII como em EBCDIC. Necessita ter um tamanho fixo de 80 caracteres por linha. É disponibilizado um ficheiro parm de exemplo parmfile.debian com as imagens de instalação. Se um parâmetro for demasiado longo para caber no limite de 80 linhas pode simplesmente ser continuado na primeira coluna da linha seguinte. Todas as linhas são concatenadas sem espaços quando forem passadas ao kernel.

Se arrancar o instalador numa partição lógica (LPAR) ou numa máquina virtual (VM) onde estejam disponíveis muitos dispositivos, poderá instruir o kernel a restringir a lista a um conjunto fixo de dispositivos. Isto é aconselhado no processo de arranque do instalador se estiverem visíveis muitos discos, provavelmente em modeo LPAR. A opção cio_ignore suporta uma blacklist (para desabilitar apenas alguns dispositivos) e uma whitelist (para permitir apenas uma lista de dispositivos específicos):

 # blacklist: ignorar apenas os dois dispositivos 300 e 301
 cio_ignore=0.0.0300-0.0.0301
 # whitelist: ignorar tudo exepto 1150, FD00, FD01 e FD02
 cio_ignore=all,!0.0.1150,!0.0.fd00-0.0.fd02

Por favor note que a numeração em hexadecimal dos dispositivos tem de ser especificada em minúsculas. Além disso, se este parâmetro de arranque for utilizado todos os dispositivos têm de ser listados: isto inclui pelo menos discos, dispositivos de rede e a consola. Para ser considerado durante o processo de arranque do instalador a opção acima tem de ser acrescentada a parmfile.debian.