Nota: O documento original é mais novo que esta tradução.

ESIEE Engineering School, Paris, França

ESIEE têm introduzido o Linux durante os últimos anos na sua infra-estrutura de TI, em vários níveis.

A primeira parte é a migração das estações HP/UX usadas para tarefas com aplicações específicas - como ferramentas de design eletrônico e softwares matemáticos - para PCs padronizados rodando Linux. No momento, 75% das estações de trabalho foram substituídas. As últimas 25% serão substituídas assim que os produtores de softwares de CAD eletrônico portarem suas aplicações para Linux.

A segunda parte é a introdução do Debian como sistema dual-boot nos computadores acessíveis aos estudantes. O objetivo da introdução do Linux é trazer mais flexibilidade para o planejamento de lições, uma vez que o Linux pode substituir as estações de trabalho HP-UX para tarefas científicas e os computadores Windows para acesso à Internet e trabalho de escritório. A terceira parte é a migração de servidores do HP/UX, Banyan Vines e Windows NT para sistemas Linux baseados no Debian. As trocas foram aceleradas quando foi decidida a substituição da velha solução Banyan com uma sistema de contas LDAP/Samba em computadores Windows que são acessíveis aos estudantes e funcionários da escola. O objetivo de longo prazo é substituir tantos computadores Windows quantos forem possíveis, até mesmo para o pessoal administrativo.

O Debian foi escolhido pela sua facilidade de administração e instalação através do uso de .debs e FAI, permitindo instalações de laboratórios de 12 computadores em 20 minutos sem a necessidade de um CD ou disquete e sem qualquer interação do usuário. A construção de pacotes dos binários traz uma maneira fácil, consistente e rápida de instalar o mesmo software em cerca de 200 computadores usados em tarefas específicas.