[ anterior ] [ Índice ] [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] [ A ] [ próximo ]


Uma Breve História da Debian
Capítulo 4 - Uma História Detalhada


4.1 Os Lançamentos 0.x

Debian começou em Agosto de 1993 por Ian Murdock, na altura um estudante na Universidade de Purdue. A Debian foi patrocinada por um ano pelo Projecto GNU da The Free Software Foundation, a organização iniciada por Richard Stallman e associada com a General Public License (GPL) -- desde Novembro de 1994 até Novembro de 1995.

Debian 0.01 até Debian 0.90 foram lançados entre Agosto e Dezembro de 1993. Ian Murdock escreve:

"Debian 0.91 foi lançado em Janeiro de 1994. Tinha um sistema de pacotes primitivo que permitia aos utilizadores manipular os pacotes mas isso fazia muito pouco (de certeza que não tinha dependências nem nada do género). Mas desta vez, haviam algumas dúzias de pessoas a trabalhar em Debian, apesar de ainda ser Eu próprio a "montar" os componentes dos lançamentos. 0.91 foi o último lançamento feito desta maneira.

A maior parte de 1994 foi passada a organizar o Projecto Debian para que outros pudessem contribuir mais efectivamente, assim como trabalhar no dpkg (Ian Jackson foi o grande responsável por isto). Não existiram lançamentos para o público em 1994 que eu me lembre, apesar de existirem vários lançamentos internos conforme íamos trabalhando para obter um processo correcto.

Debian 0.93 Lançamento 5 aconteceu em Março de 1995 e foi o primeiro lançamento "moderno" de Debian: existiam muitos mais desenvolvedores na altura (apesar de não me lembrar exactamente quantos), cada qual mantendo os seus próprios pacotes, e o dpkg era usado para instalar e manter todos esses pacotes após o sistema base estar instalado.

"O lançamento Debian 0.93 aconteceu em Novembro de 1995 e foi o último lançamento a.out. Existiam cerca de sessenta desenvolvedores a manter pacotes em 0.93R6. Se me lembro correctamente, o dselect apareceu primeiro na 0.93R6."

Ian Murdock também afirma que Debian 0.93R6 "... sempre foi o meu lançamento favorito de Debian", apesar de admitir a possibilidade de tendências pessoais, pois ele parou de trabalhar activamente no projecto em Março de 1996 durante a pré-produção da Debian 1.0, a qual foi lançada como Debian 1.1 para evitar a confusão de um fabricante de CD-ROM que por engano etiquetou como Debian 1.0 uma versão não lançada. Esse incidente levou ao conceito de imagens de CD-ROM "oficiais", como modo do projecto ajudar os fabricantes a evitar este tipo de engano.

Durante Agosto de 1995 (entre Debian 0.93 Lançamento 5 e Debian 0.93 Lançamento 6), Hartmut Koptein iniciou o primeiro porte para Debian, para a família Motorola m68k. Ele relata que "Muitos, muitos pacotes eram i386-centric (little endian, -m486, -O6 e todos para libc4) e foi difícil obter uma base de inicial de pacotes na minha máquina (uma Atari Medusa 68040, 32 MHz). Após três meses (em Novembro de 1995), Eu submeti 200 pacotes a partir de 250 pacotes disponíveis, todos para libc5!" Mais tarde ele iniciou outro porte juntamente com Vincent Renardias e Martin Schulze, para a família PowerPC.

Desde este tempo, o projecto Debian cresceu para incluir vários portes para outras arquitecturas, um porte para um novo kernel (não-Linux), o microkernel GNU Hurd e pelo menos uma variante do kernel BSD.

Um membro inicial do projecto, Bill Mitchell, relembra o kernel Linux

"... estávamos entre 0.99r8 e 0.99r15 quando arrancámos. Durante muito tempo Eu podia compilar o kernel em menos de 30 minutos numa máquina baseada em 386 de 20 MHz, e podia também fazer uma instalação de Debian na mesma quantidade de tempo em menos de 10Mb de espaço de disco.

" ... Eu lembro-me do grupo inicial incluindo Ian Murdock, mim, Ian Jackson, outro Ian cujo apelido não recordo, Dan Quinlan, e mais algumas pessoas cujos nomes não recordo. Matt Welsh ou era parte do grupo inicial ou juntou-se muito cedo (ele tinha abandonado o projecto). Alguém configurou uma lista de mail, e nós estávamos a trabalhar.

Como recordo, nós não começamos com um plano, e não começamos por elaborar um plano de nenhum modo organizado. Logo desde o princípio, lembro-me, nós começamos a juntar fontes de uma colecção de pacotes bastante aleatória. Com o tempo acabamos por nos focar numa colecção de itens que viriam a ser necessários para juntar o núcleo de uma distribuição: o kernel, uma shell, o update, o getty, vários outros programas e ficheiros de suporte necessários para iniciar o sistema, e um conjunto de utilitários do núcleo."


4.1.1 O Sistema Inicial de Empacotamento de Debian

Nos estágios iniciais do Projecto, os membros consideraram distribuir apenas pacotes fonte. Cada pacote deveria consistir do código fonte original e de um ficheiro patch "Debianizado", e os utilizadores iriam eles próprios desempacotar as fontes (untar), aplicar as patches e compilar os binários. No entanto, depressa perceberam que iria ser necessário algum tipo de distribuição binária. A primeira ferramenta de empacotamento, escrita por Ian Murdock e chamada dpkg, criava um pacote num formato binário específico de Debian, e podia ser usada mais tarde para desempacotar e instalar os ficheiros do pacote.

Cedo Ian Jackson tomou conta do desenvolvimento da ferramenta de empacotamento, renomeando a própria ferramenta para dpkg-deb e escrevendo um programa front-end que chamou de dpkg para facilitar a utilização do dpkg-deb e disponibilizar as Dependencies e Conflicts do sistema Debian actual. Os pacotes produzidos por estas ferramentas tinham um cabeçalho listando a versão da ferramenta usada para criar o pacote e um desvio dentro do ficheiro para um arquivo produzido pelo tar, o qual estava separado do cabeçalho por alguma informação de controlo.

Por esta altura gerou-se algum debate entre os membros do projecto -- alguns sentiam que o formato específico de Debian criado pelo dpkg-deb devia ser abandonado em favor do formato produzido pelo programa ar. Após vários formatos de ficheiros revistos e as ferramentas de empacotamento revistas, foi adoptado o formato ar. A chave para esta alteração é que ela torna possível que um pacote Debian seja desempacotado em qualquer sistema tipo Unix sem a necessidade de correr um executável não confiável. Por outras palavras, apenas as ferramentas standard presentes em todos so sistemas Unix como o 'ar' e o 'tar' são necessárias para desempacotar um pacote binário Debian e examinar o conteúdo.


4.2 Os Lançamentos 1.x

Quando Ian Murdock deixou a Debian, ele nomeou Bruce Perens como o próximo líder do projecto. Bruce interessou-se por Debian quando tentava criar um CD de distribuição Linux chamado "Linux for Hams", que iria incluir todos os softwares úteis para operadores de rádio amador. Ao descobrir que o sistema de núcleo Debian precisava de muito mais trabalho para suportar seu projecto, Bruce passou a trabalhar fortemente no sistema base do Linux e nas ferramentas de instalação relacionadas, adiando sua distribuição de radio amador, incluindo a organização (com Ian Murdock) do primeiro conjunto de scripts de instalação Debian, o que eventualmente resultou da disquete Rescue Debian que foi um componente do núcleo do conjunto de ferramentas de instalação Debian durante vários lançamentos.

Ian Murdock declara:

"Bruce era a escolha natural para me suceder, pois ele tinha vindo a manter o sistema base por quase um ano, e ele vinha preenchendo as minhas lacunas porque o tempo que eu podia dedicar à Debian estava a diminuir rapidamente."

Nós iniciamos várias facetas importantes do projecto, incluindo coordenar o esforço de produzir as Orientações de Software Livre de Debian e o Contracto Social de Debian, e a iniciação do Projecto de Hardware Aberto. Durante este tempo como Líder do Projecto, a Debian ganhou cota de mercado e uma reputação como plataforma para utilizadores sérios de Linux com capacidades técnicas.

Bruce Perens também encabeçou os esforços para criar Software in the Public Interest, Inc.. Destinado originalmente a fornecer ao Projecto Debian uma entidade legal capaz de aceitar donativos, os seus objectivos depressa se expandiram para incluir o suporte a projectos de software livre fora do Projecto Debian.

As seguintes versões de Debian foram lançadas durante este tempo:

Existiram vários lançamentos "temporários" feitos ao 1.3, sendo o último 1.3.1R6.

Bruce Perens foi substituído por Ian Jackson como Líder do Projecto Debian no inicio de Janeiro de 1998, após liderar o projecto até grande parte da preparação para o lançamento 2.0.


4.3 Os Lançamentos 2.x

Ian Jackson tornou-se o líder do Projecto Debian no inicio de 1998 e foi logo depois disso adicionado ao quadro de Software no Interesse Público na capacidade de Vice-Presidente. Após a demissão do Tesoureiro (Tim Sailer), do Presidente (Bruce Perens), e Secretário (Ian Murdock), ele tornou-se Presidente do Quadro e foram escolhidos três novos membros: Martin Schulze (Vice Presidente), Dale Scheetz (Secretário), e Nils Lohner (Tesoureiro).

Debian 2.0 (Hamm) foi lançada em Julho de 1998 para as arquitecturas Intel i386 e série Motorola 68000. Este lançamento marcou a passagem para uma nova versão das bibliotecas C do sistema (glibc2 ou por razões históricas libc6). Na altura do lançamento, existiam mais de 1500 pacotes mantidos por mais de 400 desenvolvedores Debian.

Wichert Akkerman sucedeu a Ian Jackson como Líder do Projecto Debian em Janeiro de 1999. Debian 2.1 foi lançada em 9 de Março de 1999, após ter sido adiada por uma semana quando surgiram alguns problemas no último minuto.

Debian 2.1 (Slink) apresentou suporte oficial para duas novas arquitecturas: Alpha e Sparc. Os pacotes X-Windows incluídos com Debian 2.1 foram fortemente reorganizados em relação aos lançamentos anteriores, e o 2.1 incluiu o apt, a interface de gestão de pacotes Debian da próxima geração. Também, este lançamento de Debian foi o primeiro a precisar de 2 CD-ROMs para o "conjunto Official Debian CD"; a distribuição incluiu cerca de 2250 pacotes.

A 21 de Abril de 1999, a Corel Corporation e o K Desktop Project formaram efectivamente uma aliança com Debian quando a Corel anunciou as suas intenções de lançar uma distribuição de Linux baseada em Debian e o ambiente de trabalho produzido pelo grupo KDE. Durante a primavera seguinte e meses de verão, apareceu outra distribuição baseada em Debian, Storm Linux, e Projecto Debian escolhe um novo logo, realçando ambos uma versão Oficial para usar em materiais com aprovação-Debian tais como CD-ROMs e web sites oficiais do projecto, e um logo Não-oficial para usar em material referente ou derivado de Debian.

Um novo e único porte Debian também começou nesta altura, o porte Hurd. Este é o primeiro porte a usar um kernel não-Linux, em vez disso a usar o GNU Hurd, uma versão do microkernel GNU Mach.

Debian 2.2 (Potato) foi lançada em 15 de Agosto de 2000 para as arquitecturas Intel i386, Motorola 68000 series, alpha, SUN Sparc, PowerPC e ARM. Este foi o primeiro lançamento a incluir os portes para PowerPC e ARM. Na altura do lançamento, existiam mais de 3900 pacotes binários e mais de 2600 pacotes fonte mantidos por mais de 450 desenvolvedores Debian.

Um facto interessante acerca de Debian 2.2 é que mostrou como um esforço de software livre pode levar um sistema operativo moderno apesar de todas as dificuldades que o cercam. Isto foi estudado[1] minuciosamente por um grupo de pessoas interessadas num artigo chamado Contando batatas citando deste artigo:

"[...] nós usámos o sistema sloccount de David A. Wheeler para determinar o número físico de linhas de código fonte (SLOC) de Debian 2.2 (aka potato). Sabemos que Debian 2.2 inclui mais de 55.000.000 SLOC físico (quase o dobro que o Red Hat 7.1, lançado cerca de 8 meses mais tarde), mostrando que o modelo de desenvolvimento Debian (baseado no trabalho de um grande grupo de desenvolvedores voluntários espalhados pelo mundo) é pelo menos tão capaz como outros métodos de desenvolvimento [...] É também sabido que se Debian tem sido desenvolvida usando métodos proprietários tradicionais, o modelo COCOMO estima que o seu custo estará perto de $1.9 biliões de Dólares Americanos para desenvolver Debian 2.2. Adicionalmente, nós oferecemos ambos, uma análise da linguagens de programação usadas na distribuição (C conta com cerca de 70%, C++ com cerca de 10%, LISP e Shell com cerca de 5%, com muitas outras a seguir), e os pacotes maiores (Mozilla, o kernel Linux, PM3, XFree86, etc.)"


4.4 Os Lançamentos 3.x

Ainda antes de woody poder sequer ser preparado para lançamento, teve que se fazer uma alteração no sistema de arquivo mo ftp-mestre. Pools de pacotes, que permitiam distribuições de objectivo especial, tal como a nova distribuição "Testing" usada pela primeira vez para preparar woody para lançamento, foram activadas no ftp-mestre a meio de Dezembro de 2000. Uma pool de pacotes é apenas uma colecção de versões diferentes de um determinado pacote, a partir da qual múltiplas distribuições (actualmente experimental, unstable, testing, e stable) podem puxar pacotes, os quais estão incluídos no ficheiro Packages dessa distribuição.

Pela mesma altura foi introduzida uma nova distribuição testing. Principalmente, pacotes da instável que se diz serem estáveis são movidos para a 'testing' (após um período de algumas semanas). Isto foi introduzido de modo a reduzir o tempo de congelamento e dar ao projecto a habilidade de preparar um novo lançamento a qualquer altura.

Nesse período, algumas da companhias que estavam a expedir versões modificadas da Debian fecharam. A Corel vendeu a sua divisão de Linux no primeiro trimestre de 2001. A Stormix declarou falência em 17 de Janeiro de 2001, e a Progeny cessou o desenvolvimento da sua distribuição a 1 de Outubro de 2001.

O congelamento para o próximo lançamento começou a 1 de Julho de 2001. No entanto, demorou ao projecto um pouco mais do que um ano para chegar ao próximo lançamento, devido a problemas nas disquetes de arranque, devido à introdução de software criptográfico no arquivo principal e devido às alterações na arquitectura subjacente (o arquivo vindouro e a arquitectura de segurança). No entanto, durante esse tempo, o lançamento estável (Debian 2.2) foi revisado sete vezes, e foram eleitos dois Líderes do Projecto: Ben Collins (em 2011) e Bdale Garbee. Além disso, o trabalho em muitas áreas de Debian para lá do empacotamento continuou a crescer, incluindo a internacionalização. O site web de Debian (com mais de mil paginas web) foi traduzido em mais de 20 linguagens diferentes, e a instalação para o próximo lançamento estava pronta em 23 linguagens.Dois projectos internos: Debian Junior (para crianças) e Debian Med (para práticas e exploração médicas) arrancaram durante o tempo de lançamento de woody dando ao projecto objectivos diferentes para tornar a Debian apropriada para essas tarefas.

O trabalho envolvente de Debian não impediu os desenvolvedores de organizarem uma reunião anual chamada DebConf. A primeira reunião decorreu de 2 a 5 de Julho em conjunto com o Libre Software Meeting (LSM) em Bordeaux (França) que juntou cerca de quarenta desenvolvedores Debian. A segunda conferência teve lugar em Toronto (Canada) a 5 de Julho 2002 com mais de oitenta participantes.

Debian 3.0 (woody) foi lançado a 19 de Julho de 2002 para as arquitecturas Intel i386, Motorola séries 68000, alpha, SUN Sparc, PowerPC, ARM, HP PA-RISC, IA-64, MIPS, MIPS (DEC) e IBM s/390. Este é o primeiro lançamento a incluir os portes HP PA-RISC, IA-64, MIPS, MIPS (DEC) e IBM s/390 Na altura do lançamento, existiam cerca de 8500 pacotes binários mantidos por mais de novecentos desenvolvedores de Debian, sendo o primeiro lançamento a estar disponível em discos DVD assim como em CD-ROMs.

Antes do próximo lançamento o encontro anual DebConf continuou com a quarta conferência a ter lugar em Oslo de 18 de Julho a 20 de Julho de 2003 com mais de cento e vinte participantes, com um DebCamp precedê-lo, de 12 de Julho a 17 de Julho. A quinta conferência teve lugar de 26 de Maio a 2 de Junho de 2004 em Porto Alegre, Brasil com mais de cento e sessenta participantes e vinte e seis países diferentes.

Debian 3.1 (sarge) foi lançado em 6 de Junho de 2005 para as mesmas arquitecturas que em woody, apesar de um porte AMD64 não oficial ter sido lançado ao mesmo tempo usando a infraestrutura de alojamento do projecto disponibilizado para a distribuição e disponível em http://alioth.debian.org. Tinha cerca de 15.000 pacotes binários mantidos por mais de mil e quinhentos desenvolvedores de Debian.

Houve muitas grandes alterações no lançamento de sarge, a maioria devido ao imenso tempo que levou a congelar e lançar a distribuição. Este lançamento não apenas actualizou mais de 73% do software lançado na versão anterior, mas também incluiu muito mais software que as versões anteriores quase duplicando em tamanho com 9.000 pacotes novos incluindo a suite OpenOffice, o navegador web Firefox e o cliente de e-mail Thunderbird.

Este lançamento saiu com kernel Linux das séries 2.4 e 2.6, XFree86 4.3, GNOME 2.8 e KDE 3.3 e com um novo instalador. Este novo instalador substituiu o velhinho instalador de disquetes de arranque por um desenho modular com disponibilidade para instalações mais avançadas (com suporte a RAID, XFS e LVM) incluindo detecções de hardware e tornando as instalações mais fáceis para utilizadores novatos de todas as arquitecturas. Também mudou para o aptitude como a ferramenta seleccionada para gestão de pacotes. Mas o sistema de instalação também glorificou o suporte de internacionalização total pois o software estava traduzido em quase quarenta linguagens. A documentação de suporte: manual de instalação e notas de lançamento, estavam disponíveis com o lançamento em dez e quinze linguagens diferentes respectivamente.

Este lançamento incluiu os esforços dos sub-projectos Debian-Edu/Skolelinux, Debian-Med e Debian-Accessibility os quais aumentaram o número de pacotes educativos e aqueles com afiliação médica assim como os pacotes desenhados especialmente para pessoas com incapacidades.

O sexto DebConf aconteceu em Espoo, Finlândia, de 10 de Julho a 17 de Julho de 2005 com mais de trezentos participantes. Estão disponíveis online desta conferência Videos.

O sétimo DebConf aconteceu em Oaxtepec, Mexico, de 14 de Maio a 22 Maio, 2006 com cerca de two hundred participantes. Desta conferência estão disponíveis online Videos e pictures.


4.5 Os Lançamentos 4.x

Debian 4.0 (etch) foi lançado a 8 de Abril de 2007 para o mesmo número de arquitecturas que me sarge. Este incluiu o porte AMD64 mas abandonou o suporte para m68k. O porte m68k estava, no entanto, ainda disponível na distribuição unstable. Tinha cerca de 18.200 pacotes binários mantidos por mais de mil e trinta desenvolvedores Debian.


4.6 Os Lançamentos 5.x

Debian 5.0 (lenny) foi lançado a 14 de Fevereiro de 2009 para mais uma arquitectura que o seu antecessor, etch. Este incluiu o porte para os novos processadores ARM. Como no lançamento anterior, ainda estava disponível o suporte para a arquitectura m68k em unstable. Tinha cerca de 23.000 pacotes binários (compilados a partir de mais de 12.000 pacotes fonte) mantidos por mais de mil e dez desenvolvedores Debian.

O oitavo DebConf teve lugar em Edinburgh, Escócia, de 17 a 23 de Junho de 2007 com mais de quatrocentos participantes. Estão disponíveis online Videos e imagens desta conferência.

O nono DebConf teve lugar em Mar de Plata, Argentina, de 10 a 16 de Agosto de 2008 com mais de duzentos participantes. Videos e imagens desta conferência estão disponíveis online.

O décimo DebConf ocorreu em Caceres, Espanha, de 23 a 30 de Julho a, 2009 com mais de duzentos participantes. Estão disponíveis online Videos e imagens desta conferência.

O décimo primeiro DebConf teve lugar em New York City, United States of America, de 1 a 7 de Agosto de 2010 com o DebCamp a preceder de 25 a 31 de Julho . Mais de 200 pessoas incluindo desenvolvedores, mantenedores e utilizadores de Debian juntaram-se no Columbia Campus para participar na conferência. Videos e imagens desta conferência estão disponíveis online.


4.7 Os Lançamentos 6.x

Debian 6.0 squeeze) foi lançado a 6 de Fevereiro, 2011.

Após o projecto ter decidido, no dia 29 de Julho de 2009, passar a adoptar congelamentos baseados-em-data para que os novos lançamentos sejam publicados na primeira metade de cada ano ímpar. Squeeze foi a única excepção à política dos dois anos de modo a entrar no novo agendamento de data.

Esta política foi adoptada de modo a providenciar melhores previsões de lançamentos para os utilizadores da distribuição Debian, e também permitir aos desenvolvedores Debian fazer melhores planeamentos a longo termo. Um ciclo de lançamentos de dois anos providenciou mais tempos para alterações disruptivas, reduzindo as inconveniências causadas aos utilizadores. Ao ter congelamentos previstos também se espera reduzir o tempo total de congelamento.

No entanto, mesmo esperando-se que o congelamento acontecesse em Dezembro de 2009, o anúncio de que o squeeze foi congelamento veio em Agosto de 2010, coincidindo com as celebrações da 10ª reunião DebConf anual em Nova York.

As novas funcionalidades incluem:

Muitos pacotes começaram a usar um novo formato de pacote fonte baseado no quilt. Este novo formato, chamado "3.0 (quilt)" para pacotes não-nativos, separa as patches Debian do código fonte distribuído. Um novo formato, "3.0 (nativo)", foi também introduzido para pacotes nativos. Novas funcionalidades destes formatos incluem suporte para múltiplos tarballs do autor original, suporte para tarballs comprimidos em bzip2 e lzma e a inclusão de ficheiros binários.

O décimo segundo DebConf teve lugar em Banja Luka, Republica de Srpska, Bosnia e Herzegovina, de 24 a 30 de Julho de 2011, com o DebCamp a precedê-lo de 17 a 23 de Julho.

O décimo terceiro DebConf teve lugar em Managua, Nicaragua, de 8 a 14 de Julho de 2012, com o DebCamp a precedê-lo de 1 a 6 de Julho, e um Debian Day a 7 de Julho.


4.8 Os Lançamentos 7.x

Debian 7.0 (wheezy) foi lançada a 4 de Maio de 2013. Esta nova versão de Debian incluiu várias funcionalidades interessantes tais como vários suportes a multi-arquitecturas, várias ferramentas específicas para implantar clouds privadas, um instalador melhorado, e um conjunto completo de codecs multimedia e front-ends que removeu a necessidade de repositórios de terceiros.

Durante a Conferência Debian DebConf11, em Julho de 2011, foi introduzido o "suporte a multi-arquitectura". Esta funcionalidade tinha o objectivo de lançamento neste lançamento. Multi-arquitectura é um repensar radical da hierarquia de sistemas de ficheiros com respeito a caminhos de bibliotecas e cabeçalhos, para fazer programas e bibliotecas de diferentes arquitecturas de hardware facilmente instaláveis em paralelo no mesmo sistema. Isto permite aos utilizadores instalar pacotes de múltiplas arquitecturas na mesma máquina. Isto é útil em vários modos, mas o mais comum é instalar ambos software de 64 e 32 bits na mesma máquina e ter as dependências correctamente resolvidas de modo automático. Esta funcionalidade está descrita extensivamente no Manual do Multiarch.

O processo de instalação foi bastante melhorado. O sistema podia ser instalado usando software de fala, acima de tudo por pessoas com debilitações visuais que não usam um dispositivo de Braille. Graças aos esforços combinados de um enorme número de tradutores, o sistema de instalação estava disponível em 73 idiomas, e mais de uma dúzia deles estavam também disponíveis para sintetização de fala. Adicionalmente e pela primeira vez, Debian suportou a instalação e arranque usando UEFI para os novos PCs de 64 bits, apesar de não existir ainda suporte para Secure Boot.

Outras novas funcionalidades e pacotes de software actualizado incluídos:

Para mais informação sobre as novas funcionalidades introduzidas neste lançamento, veja o capítulo O que há de novo em Debian 7.0 das Notas de Lançamento de Wheezy.

O décimo quarto DebConf teve lugar em Vaumarcus, Suíça, de 11 a 18 de Agosto de 2013, com o DebCamp a precedê-lo de 6 a 10 de Agosto, e um Debian Day a 11 de Agosto.


4.9 Os Lançamentos 8.x

Debian 8.0 (Jessie) foi lançado a 25 de Abril, 2015.

A maior alteração deste lançamento foi a substituição do sistema de iniciação: o systemd substituiu o sysvinit. Este novo sistema de iniciação apresentou muitas melhorias e tempos de arranque mais rápidos. No entanto, a sua inclusão, originou imensos debates nas diferentes listas de mail e até levou a uma Resolução Geral com o título init system coupling. A qual foi votada por aproximadamente metade dos desenvolvedores[2].

Outras novas funcionalidades e pacotes de software actualizado incluídos:

Para mais informação sobre as novas funcionalidades introduzidas neste lançamento, veja o capítulo O que há de novo em Debian 8.0 de Jessie Release Notes.


4.10 The 9.x Releases

Debian 9.0 (Stretch) was released June 17th, 2017.

New features and updated software packages included:

For more information on the new features introduced in this release, see the What's new in Debian 9.0 chapter of Stretch Release Notes.


4.11 Eventos Importantes


4.11.1 Julho 2000: Morre Joel Klecker

A 11 de Julho de 2000, Joel Klecker, que também era conhecido como Espy, faleceu aos 21 anos de idade. Ninguém que viu o 'Espy' no #mklinux, nas listas ou canais Debian sabia que por detrás da sua alcunha estava um jovem a sofrer de uma forma de distrofia muscular Duchenne. A maioria das pessoas apenas o conheceu como "o tipo do glibc e powerpc da Debian" e não faziam ideia das dificuldades com que o Joel lutava. Apesar de fisicamente debilitado, ele partilhou a sua grande mente com outros.

Joel Klecker (também conhecido como Espy) deixa saudades.


4.11.2 Outubro 2000: Implementação de Package Pools

James Troup reportou que tem estado a trabalhar na re-implementação das ferramentas de manutenção de arquivo e a mudar para pools de pacotes. A partir desta data, os ficheiros são armazenados num directório com o nome do pacote fonte correspondente dentro do directório pools directory. Os directórios da distribuição irão apenas conter ficheiros Pacotes que contêm referencias à pool. Isto simplifica as distribuições sobrepostas tais como a testing e a unstable. O arquivo é também movido a base de dados usando PostgreSQL o que também acelera as procuras.

Este conceito de gerir os arquivos Debian que é uma espécie de cache de pacotes foi introduzido inicialmente por Bdale Garbee em este email enviado para a lista de desenvolvimento-debian em Maio de 1998.


4.11.3 Março 2001: Morre Christopher Rutter

A 1 de Março de 2001, Christopher Matthew Rutter (também conhecido por cmr) foi morto com 19 anos de idade após ter sido atingido por um carro. Christopher foi um membro jovem e bem conhecido do projecto Debian que ajudava com o porte de ARM. O site buildd.debian.org é dedicado à sua memória.

Chris Rutter deixa saudades.


4.11.4 Março 2001: Morre Fabrizio Polacco

A 28 de Março de 2001, Fabrizio Polacco faleceu após uma doença prolongada. O Projecto Debian honra o seu bom trabalho e forte dedicação à Debian e ao Software Livre. As contribuições de Fabrizio não serão esquecidas, e outros desenvolvedores irão avançar para continuar o seu trabalho.

Fabrizio Polacco deixa saudades.


4.11.5 Julho 2002: Morre Martin Butterweck

A 21 de Julho de 2002, Martin Butterweck (também conhecido como blendi) morre após lutar contra leucemia. Martin era um jovem membro do projecto Debian que recentemente se tinha juntado ao projecto.

Martin Butterweck deixa saudades.


4.11.6 Novembro 2002: Fogo destruiu o servidor Debian

Cerca das 8:00 Horas da Europa Central em Novembro de 2002, A Universidade de Twente Network Operations Center (NOC) pegou fogo. O edifício ardeu até às fundações. Os bombeiros perderam a esperança de proteger a área do servidor. Entre outras coisas o NOC hospedava satie.debian.org que continha ambos arquivos security e non-US assim como as bases de dados de novos mantenedores (nm) e seguro de qualidade (qa). Debian teve de reconstruir estes servidor na máquina klecker, a qual foi recentemente movida dos EUA para a Holanda.


4.11.7 Maio 2004: Morrem Manuel Estrada Sainz e Andrés García Solier

Em 9 de Maio Manuel Estrada Sainz (ranty) e Andrés García Solier (ErConde) são mortos num trágico acidente automóvel enquanto regressam da convenção de Software Livre que ocorreu em Valência, Espanha.

Manuel Estrada Sainz e Andrés García Solier deixam saudades.


4.11.8 Julho 2005: Morre Jens Schmalzing

A 30 de Julho Jens Schmalzing (jensen) morre num trágico acidente no seu local de trabalho em Munique, Alemanha. Ele estava envolvido em Debian como mantenedor de vários pacotes, suportava o porte PowerPC, e como membro da equipa do kernel, e foi um instrumento em levar o pacote de kernel PowerPC para a versão 2.6. Também mantinha o emulador Mac-on-Linux e os seus módulos de kernel, ajudou com o instalador e com actividades locais em Munique.

Jens Schmalzing deixa saudades.


4.11.9 Dezembro 2008: Morre Thiemo Seufer

A 26 de Dezembro Thiemo Seufer (ths) morreu num acidente de automóvel. Ele era o mantenedor líder dos portes MIPS e MIPSEL e ele também contribuiu longamente no instalador-debian muito antes de se tornar um desenvolvedor Debian em 2004. Como membro da equipa QEMU, ele escreveu a maior parte das bases de emulação MIPS.

Thiemo Seufer deixa saudades.


4.11.10 Agosto 2010: Morre Frans Pop

Frans Pop (fjp) morreu a 20 de Agosto. Frans esteve envolvido em Debian como um mantenedor de vários pacotes, dava suporte ao porte S/390, e um dos membros mais envolvidos da equipa do instalador Debian. Ele foi um mestre de listas, editor e gestor de lançamento do Guia e Instalação e das notas de lançamento, assim como um tradutor Holandês.

Frans Pop deixa saudades.


4.11.11 Abril 2011: Morre Adrian von Bidder

Adrian von Bidder (cmot) morreu a 17 de Abril. Adrian foi um dos membros fundadores e secretário de debian.ch, ele inflamou muitas ideias que fizeram a Debian Switzerland ser o que é hoje. Adrian também manteve activamente software no arquivo de pacotes Debian, e representou o projecto em vários eventos.

Adrian von Bidder deixa saudades.


4.11.12 Maio 2013: Morre Ray Dassen

Ray Dassen (jdassen) morreu a 18 de Maio. Ray foi um Desenvolvedor Debian durante uns incríveis 19 anos. Ele juntou-se ao projecto em 1994, e continuou a ser um contribuidor activo até falecer. Ray foi um dos membros fundadores da equipa Debian GNOME, a sua simpatia e vontade de ajudar fomentou um espírito de colaboração dentro da equipa GNOME. Ele continuou o seu envolvimento dentro de Debian como mantenedor de vários pacotes, mais notavelmente a folha de cálculo Gnumeric.

Ray Dassen deixa saudades.


4.11.13 Julho 2014: Morre Peter Miller

Peter Miller morreu a 27 de Julho. Peter era relativamente um recém chegado ao projecto Debian, mas as suas contribuições ao Software Free e Open Source remonta ao final dos anos 80. Peter foi um contribuidor significante do gettext GNU ao ser o principal autor da origem e mantenedor de outros projectos que faziam parte dos lançamentos de Debian, incluindo, mas não limitado a srecord, aegis e cook. Peter foi também o autor do jornal Recursive Make Considered Harmful.

Peter Miller deixa saudades.


4.11.14 Fevereiro 2015: Morre Clytie Siddall

Clytie Siddall morreu em Fevereiro de 2015. Clytie foi uma contribuidora de traduções Vietnamitas para Debian e outros projectos durante muitos anos. Dentro de Debian ela trabalhou em traduções para o instalador, dpkg, apt, e várias documentações. Ela também contribuiu com traduções dentro da comunidade GNOME e em muitos outros projectos. Clytie foi também um membro da fundação GNOME entre 2005 e 2007.

Clytie Siddall deixa saudades.


4.11.15 Dezembro 2015: Morre Ian Murdock

Ian Murdock, o fundador do Projecto Debian e sua comunidade, morreu em Dezembro de 2015. Ian foi introduzido nos computadores ainda muito jovem, ele começou a programar activamente aos nove anos de idade. Com a ideia e a oportunidade de fazer algo melhor, ele começou o Projecto Debian em Agosto de 1993. Na altura, o conceito de uma "distribuição" de Linux era algo novo. Dizendo-se inspirado pela partilha do Linux do próprio Linus Torvalds, ele lançou Debian com a intenção que esta distribuição deveria ser feita de modo aberto, no espírito de Linux e GNU. O sonho de Ian está vivo: Debian é feita de uma forte comunidade que fomentou desenvolvimento, crescimento, e maravilhas. Continua incrivelmente activa com milhares de desenvolvedores a trabalhar horas incontáveis para trazer ao mundo um sistema operativo confiável e seguro. Debian despertou interesse, curiosidade, e paixão naqueles que desejam criar algo melhor. Antes, agora, e longe no futuro.

The Debian 9 Stretch release was dedicated in his memory.

Ian Murdock deixa saudades.


4.11.16 September 2016: Kristoffer H. Rose died

Kristoffer H. Rose died on September 17th 2016 after a long battle with myelofibrosis. Kristoffer was a Debian contributor from the very early days of the project, and the upstream author of several packages, such as the LaTeX package Xy-pic and FlexML. On his return to the project after several years' absence, many of us had the pleasure of meeting Kristoffer during DebConf15 in Heidelberg.

Kristoffer H. Rose will be missed.


4.12 O Que Vem a Seguir?

O Projecto Debian continua a trabalhar na distribuição unstable (com nome de código sid, vindo do rapaz mau e "instável" da casa ao lado no filme Toy Story 1 o qual nunca deverá sair para o mundo). Sid é o nome permanente para a distribuição instável e será sempre 'Still In Development'. A maioria dos pacotes novos ou actualizados são carregados nesta distribuição.

O lançamento testing destina-se a ser o próximo lançamento estável e tem presentemente o nome de código buster.


[ anterior ] [ Índice ] [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] [ A ] [ próximo ]


Uma Breve História da Debian

2.22 (last revised 17th June 2017)

Equipa de Documentação da Debian mailto:debian-doc@lists.debian.org