[ anterior ] [ Índice ] [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] [ 5 ] [ 6 ] [ 7 ] [ 8 ] [ 9 ] [ 10 ] [ 11 ] [ 12 ] [ próximo ]

Instalando Debian GNU/Linux 3.0 para Mipsel
Capítulo 8 - Inicializando em seu novo sistema Debian


8.1 ``Fazer o Sistema Inicializável''

O gerenciador de partida nas DECstations é o DELO. Ele tem que ser instalado no mesmo disco rígido que o kernel (isto é feito automaticamente pelo programa de instalação). O DELO suporta diferentes configurações que são colocadas no arquivo /etc/delo.conf. Cada configuração tem um nome único, a configuração padrão criada pelo instalador é "linux". Após o DELO ter sido instalado, o sistema pode ser inicializado pelo disco rígido entrando

boot #/rzid partnr/name

no aviso de firmware.

#
é o dispositivo TurboCanal no qual será inicializado, em muitas estações DEC este é "3" para os controladores embutidos.
id
é a identificação SCSI do disco rígido no qual o DELO está instalado.
partnr
é o número da partição no qual o /etc/delo.conf reside
name
é o nome da entrada de configuração no arquivo /etc/delo.conf, que é "linux" por padrão.

Caso o /etc/delo.conf esteja na primeira partição do disco e a configuração padrão seja iniciada, é suficiente utilizar

boot #/rzid

Se estiver instalando em uma estação sem disco rígido, obviamente, a inicialização fora do disco rígido não é uma opção significante e este passo será pulado.


8.2 O Momento da Verdade

Sua primeira inicialização do sistema é conhecido por engenheiros como o "teste de fumaça". Se você tiver qualquer disquete na sua unidade de disquetes, remova-o. Seleciona no menu a opção ``Reiniciar o Sistema''.

Se está inicializando diretamente na Debian, e o sistema não iniciar, utilize o mídia de inicialização original(atualmente, o disquete de inicialização), ou insira o disco flexível personalizado que você criou no passo anterior, e resete seu sistema. Se você não esta usando o disquete de inicialização personalizado, você provavelmente terá que incluir vários parâmetros de boot. Se inicializar com o disquete de inicialização ou técnicas similares, você precisará especificar rescue root=root, onde root é sua partição root, por exemplo "/dev/sda1".

A Debian deverá inicializar, e você verá as mesmas mensagens de quando você iniciou o sistema de instalação pela primeira vez, seguida de várias mensagens novas.


8.3 Configuração da Debian pós-inicialização (base)

Após a inicialização, lhe serão feitas várias perguntas para completar a configuração do seu sistema básico, e então selecionar pacotes adicionais que deseja instalar. A aplicação que o guia durante este passo é chamado base-config.

Se desejar re-executar o pacote base-config em qualquer ponto após completar a instalação, execute como root dpkg-reconfigure base-config.


8.4 Configurando o Fuso Horário

Você será primeiramente perguntado para configurar seu fuso horário. Após seleciona a configuração de hora local versus GMP, lhe será pedido para selecionar a cidade que possui a mesma hora que está localizado. Quando fizer as seleções nestas listas, você poderá digitar uma letra simples para levar a seleção no primeiro item da lista que comece com aquela letra.


8.5 Senhas MD5

Você será primeiro perguntado se deseja instalar as senhas MD5. Esta é um método alternativo de armazenar as senhas em seu sistema que é mais seguro que os métodos padrões (chamados "crypt").

O padrão é "não", mas se você não precisa de suporte a NIS e está centralizado na segurança desta máquina, você pode dizer "sim".


8.6 Suporte a Senhas Ocultas

A não ser que tenha dito "sim" as senhas MD5, o sistema lhe perguntará se deseja ativar as senhas ocultas. Este é um método para seu sistema GNU/Linux ter um pouco mais de segurança. Em um sistema sem senhas ocultas, as senhas são armazenadas (encriptadas) em um arquivo lido por todos, /etc/passwd. Este arquivo pode ser lido por qualquer um que entra no sistema porque ele contém dados vitais dos usuários, por exemplo, o mapeamento entre identificações numéricas de usuários e nomes de login. Então, alguém pode conseguir seu arquivo /etc/passwd e executar um ataque brute force nele para tentar descobrir as senhas.

Se você tem senha oculta ativada, as senhas serão armazenadas no arquivo /etc/shadow, que é lido somente pelo root. Então, nós recomendamos que você ative a senha oculta (shadow passwords).

A reconfiguração do seu sistema de senhas sombras pode ser feito a qualquer hora com o programa shadowconfig. Após a instalação, veja /usr/doc/passwd/README.debian.gz para mais informações.


8.7 Escolher a senha do usuário root

A conta root é também chamada de super usuário, este é um login que ultrapassa todos as proteções de segurança de seu sistema. A conta root somente deve ser usada para fazer a administração do sistema, e usada o menor tempo possível.

Qualquer senha que criar deverá conter de 6 a 8 caracteres, e também poderá conter letras maiúsculas e minúsculas, e também caracteres de pontuação. Tenha um cuidado especial quando escolher sua senha root, desde que ela é a conta mais poderosa. Evite palavras de dicionário ou o uso de qualquer outros dados pessoais que podem ser adivinhados.

Se qualquer um lhe pedir senha root, seja extremamente cuidadoso. Você normalmente nunca deve distribuir sua conta root, a não ser que esteja administrando um computador com mais de um administrador do sistema.


8.8 Criando um usuário ordinário

O sistema perguntará se deseja criar um usuário ordinário neste ponto. Esta conta deve ser usada como sua conta pessoal. Você não deve usar a conta root para uso diário ou como seu login pessoal.

Porque não? Bem, uma razão para evitar usar privilégios root é por causa da facilidade de se cometer danos irreparáveis como root. Outra razão é que você pode ser enganado e rodar um programa Cavalo de Tróia -- que é um programa que obtém poderes do super usuário para comprometer a segurança do seu sistema sem que você saiba. Qualquer bom livro de administração de sistemas Unix cobre este tópico em maiores detalhes - considere a leitura de um destes se isto for novidade para você.

Nomeie a conta do usuário do jeito que quiser. Se seu nome é John Smith, você pode usar "smith", "john", "jsmith" ou "js". Você também será perguntado sobre o nome completo do usuário e, como antes, uma senha.

Você pode adicionar um usuário a qualquer momento após a instalação usando o comando adduser.


8.9 Configurando o PPP

Em seguida será perguntado se deseja instalar o resto do sistema usando PPP. Se não estiver instalando a partir de um CD-ROM e/ou está conectado diretamente a uma rede, você pode escolher ``Não'' e pular esta seção.

Se escolher configurar o PPP neste ponto, um programa chamado pppconfig será executado. Este programa lhe ajuda a configurar sua conexão PPP. Tenha certeza, quando ele te perguntar pelo nome de sua conexão dial-up, escolher o nome "provider".

Felizmente, o programa pppconfig encaminhará você durante a configuração da conexão PPP. No entanto, se ele não funcionar com você, veja abaixo instruções detalhadas.

Para fazer uma conexão PPP, você precisará conhecer a base da visualização de arquivo e edição no GNU/Linux. Para ver arquivos, você pode usar more, e zmore para arquivos compactados com a extensão .gz. Por exemplo, para ver README.debian.gz, digite zmore README.debian.gz. O sistema básico vem com dois editore: ae, que é mais simples de se usar, mas não tem tantas características, e elvis-tiny, um clone limitado do vi. Você provavelmente dever instalar mais tarde editores com mais características e visualizadores, como o jed, nvi, less e emacs.

Edite o arquivo /etc/ppp/peers/provider e troque "/dev/modem" por "/dev/ttyS#" onde # é o número da porta serial do modem no Linux. No GNU/Linux, as portas seriais são contadas a partir de 0; sua primeira porta serial é /dev/ttyS0 no Linux. O próximo passo é editar /etc/chatscripts/provider e inserir seu número de telefone do provedor, seu nome de usuário e senha. Não apague o "\q" que precede a senha. Ele oculta a senha para não aparecer em seus arquivos de log.

Muitos provedores usam PAP ou CHAP para seqüência de login ao invés da autenticação em modo texto. Outros usam ambos. Se seu provedor requer PAP ou CHAP, você precisará fazer um procedimento diferente. Comente tudo abaixo da string de discagem (a única que inicia com "ATDT") em /etc/chatscripts/provider, modifique /etc/ppp/peers/provider como descrito acima, e inclua user name onde name é o seu nome do usuário do provedor que esta configurando esta conexão. O próximo passo é editar /etc/pap-secrets ou /etc/chap-secrets e entrar com sua senha aqui.

Também será necessário editar o arquivo /etc/resolv.conf e incluir o endereço IP do servidor DNS do seu provedor. As linhas em /etc/resolv.conf seguem o seguinte formato: nameserver xxx.xxx.xxx.xxx onde os x's são os números do endereço IP. Opcionalmente, você pode adicionar a opção usepeerdns ao arquivo /etc/ppp/peers/provider, que ativará automaticamente os servidores DNS apropriados, usando as configurações que o computador remoto normalmente oferece.

A não ser que seu provedor tenha uma seqüência de login diferente da maioria dos ISPs, está pronto! Inicie sua conexão PPP digitando pon como root, e monitore o processo usando o comando plog. Para desconectar, use poff, como root.

Leia o arquivo /usr/share/doc/ppp/README.Debian.gz para mais informações sobre como usar o PPP na Debian.

Para conexões SLIP estáticas, você precisará adicionar o comando slattach ( do pacote net-tools) no /etc/init.d/network. O SLIP dinâmico requer o pacote gnudip.


8.10 Configurando o APT

O principal método que as pessoas usam para instalar os pacotes em seu sistema é via programa apt-get, existente no pacote apt. [4] O APT deve ser configurado para saber de onde copiar os pacotes. O aplicativo assistente que te guiará nesta tarefa é chamado apt-setup.

O próximo passo neste processo de configuração é dizer o APT onde outros pacotes Debian podem ser encontrados. Note que você pode re-executar esta ferramenta em qualquer ponto após a instalação executando o comando apt-setup, ou editando manualmente o arquivo /etc/apt/sources.list.

Se você está inicializando através de um CD-ROM oficial, então aquele CD-ROM deve ser configurado automaticamente como um fonte apt sem perguntar. Você notará isto porque seu CD-ROM será scaneado, e então ele perguntará se deseja configurar outro CD-ROM. Se você tiver múltiplos CD-ROMs — e muitas pessoas terão — então você deverá ir em frente e scanear cada um destes CDs, um por um.

Para usuários que não possuem um CD da Debian, serão oferecidas outras opções de como os pacotes da Debian serão acessados: FTP, HTTP, CD-ROM ou um sistema de arquivos locais. Para usuários de CD-ROm, você pode obter este passo perguntando especificamente para incluir outra fonte de instalação.

Você deve saber que é perfeitamente aceitável ter um número de diferentes fontes do APT, até para o mesmo arquivo da Debian. O apt-get automaticamente utilizará o pacote com o maior número de versão através de todas as versões disponíveis. Ou por exemplo, se tiver ambos os métodos de acesso HTTP e um CD-ROM do apt, o apt-get deve usar automaticamente o CD-ROM local quando possível, e somente usar o HTTP se uma nova versão estiver disponível. No entanto, não é uma boa idéia adicionar fontes do APT desnecessárias, pois isso poderá deixar o processo de checagem de novas versões dos arquivos da rede bastante lento.


8.10.1 Configurando os fontes de pacotes na Rede

Se desejar instalar o resto do seu sistema via rede, a opção mais comum é selecionar o método "http". O método "ftp" também é aceitável, mas tende a fazer conexões de forma um pouco mais lenta.

A seguir você será perguntar se deseja ter qualquer programa non-free. Isto se refere a programas comerciais ou qualquer outro programa que o licenciamento não segue a Debian Free Software Guidelines. É bom dizer "sim", mas tenha cuidado ao instalar tais softwares, porque você precisa se assegurar que está usando o programa de acordo com sua licença.

O próximo passo durante a configuração dos fontes da rede é dizer ao apt-setup em que país você está. Isto permite selecionar o mirror Oficial dos arquivos da Debian mais próximo de você que será conectado. Dependendo do país que selecionar, você será presenteado com uma lista de possíveis máquinas. É recomendável pegar uma do topo da lista, mas qualquer delas poderá funcionar.

Se estiver instalando via HTTP, você será perguntado por configurar seu servidor proxy. Muitas vezes isto é requerido por pessoas operando através de firewalls, em redes corporativas, etc.

Finalmente, seu novo pacote fonte de rede será testado. Se tudo funcionar bem, você será perguntado se deseja fazer tudo novamente com outro método de rede.


8.11 Instalação de Pacotes: Simples ou Avançada

A seguir você será perguntado se deseja usar o método de instalação simples ou mais rigoroso, método avançado. Nós recomendamos iniciar com o método simples, pois pode executar o método avançado a qualquer momento.

Saiba que para a instalação simples, o base-config está meramente invocando o programa tasksel. Para a instalação avançada de pacotes, o programa tasksel estará executando o programa dselect. Um destes podem ser executados a qualquer momento após a instalação para instalar mais pacotes. Se você estiver procurando por um pacote simples, após a instalação ser concluída, simplesmente execute apt-get install pacote, onde pacote é o nome do pacote que está procurando.


8.12 Seleção Simples de Pacotes -- O Instalador de Tarefas

Se selecionar instalação "simples", será executado o Instalador de Tarefas (tasksel). Esta técnica lhe oferece um número de conjunto de programas pré-definidos pela Debian. Você pode sempre selecionar, pacote por pacote, o que deseja instalar em sua nova máquina. Este é o propósito do programa dselect, descrito abaixo. Mas isto pode ser uma tarefa longa com aproximadamente 7650 pacotes disponíveis na Debian!

Assim, você tem a oportunidade de selecionar tarefas ao invés disso. Estas representam claramente um diferente número de trabalhos ou cosias que você deseja fazer com o seu computador, tal como "ambiente desktop", "desenvolvimento em C" ou "servidor de arquivos".

Para cada tarefa, você pode selecionar e selecionar "Task Info" para ver mais detalhes sobre ela. Isto lhe permitirá ver uma descrição estendida e uma lista de pacotes incluídas para aquela tarefa. Uma tabela mostrando os tamanhos aproximados para várias propósitos de tarefas em Espaço em disco requerido para as tarefas, Secção 11.4.

Uma vez que selecionou suas tarefas, selecione "Finish". Neste ponto, o apt-get será executado para instalar os pacotes que selecionou. Note, se não tiver selecionado qualquer tarefa em completo, qualquer pacote com prioridade importante (important), requerida (required) que ainda não estão presentes em seu sistema serão instalados. Esta funcionalidade é a mesma que executar tasksel -s na linha de comando e atualmente envolve um download de em média 37M de arquivos. Será lhe mostrado o número de pacotes que serão instalados e quantos kilobytes de pacotes, se disponível, serão copiados.

De 7650 pacotes disponíveis na Debian, somente uma pequena minoria destes são cobertos pelas tarefas oferecidas pelo instalador de tarefas. Para ver detalhes sobre mais pacotes, use apt-cache search string-de-procura (veja a página de manual apt-cache(8)), ou execute o dselect como descrito abaixo.


8.13 Seleção Avançada de Pacotes com o dselect

Se selecionar seleção "avançada" de pacotes, você será enviado ao programa dselect. A leitura do dselect Tutorial é requerida antes de executar o dselect O dselect lhe permite selecionar pacotes que serão instalados em seu sistema. Você deve ser o super-usuário (root) quando executar o dselect.


8.14 Perguntas durante a instalação de softwares

Cada pacote que selecionou com o tasksel e/ou o dselect é descompactado e então instalado pelos programas apt-get e dpkg. Caso um programa em particular precisa de mais detalhes do usuário, ele lhe perguntará durante este processo. Você pode também querer manter a atenção durante este processo, para ver qualquer erro de instalação (no entanto lhe serão perguntados para reconhecer erros que não permitem a instalação do pacote).


8.15 Entrando no Sistema

Após instalar os pacotes, será mostrado o aviso de login. Entre no sistema usando seu login pessoal e senha que selecionou. Seu sistema estará agora pronto para o uso.

Se você for um novo usuário, você poderá desejar explorar a documentação que já está instalada em seu sistema como iniciar sua utilização. Existem diversos sistemas de documentação, o trabalho está em progresso para integrar diferentes tipos de documentação. Aqui existem alguns pontos iniciais.

A documentação que acompanham os programas foram incluídas em /usr/share/doc/, em um diretório que contém o nome do programa. Por exemplo, um guia de usuário do APT para utilizar o apt para instalar outros programas em seu sistema, está localizado em /usr/share/doc/apt/guide.html/index.html.

Em adição, existem outros diretórios especiais dentro da hierarquia /usr/share/doc/. Os HOWTOs do Linux estão instalados em formato .gz, em /usr/share/doc/HOWTO/en-txt/ e /usr/share/doc/HOWTO/en-txt/mini/. O diretório /usr/share/doc/HTML/index.html contém o índice navegável de documentação instalada pelo dhelp.

Uma forma fácil de ver estes documentos é entrar no diretório como comando cd /usr/share/doc/ e digitar lynx seguido de um espaço e um ponto (o ponto significa o diretório atual).

Você também poderá usar info (comando) ou man (comando) para ver a documentação na maioria dos comandos disponíveis no aviso de comando. Digitando help mostrará a ajuda dos comandos shell internos. Qualquer comando externo digitado seguido de --help normalmente exibirá um resumo curto de uso dos comandos. Se um comando mostrar muita saída e rolar para a parte acima da tela, acrescente |more após o comando para realizar uma pausa de tela. Para ver uma lista de todos os comandos disponíveis que começam com uma determinada letra, digite a letra e pressione a tecla Tab duas vezes.

Para uma instrução mais detalhada sobre o Debian GNU/Linux, veja /usr/share/doc/debian-guide/html/noframes/index.html.


[ anterior ] [ Índice ] [ 1 ] [ 2 ] [ 3 ] [ 4 ] [ 5 ] [ 6 ] [ 7 ] [ 8 ] [ 9 ] [ 10 ] [ 11 ] [ 12 ] [ próximo ]

Instalando Debian GNU/Linux 3.0 para Mipsel

versão 3.0.24, 18 December, 2002

Bruce Perens
Sven Rudolph
Igor Grobman
James Treacy
Adam Di Carlo