Product SiteDocumentation Site

Capítulo 3. Analisando a Configuração Existente e Migrando

3.1. Coexistência em Ambientes Heterogêneos
3.1.1. Integração com Máquinas Windows
3.1.2. Integração com máquinas OS X
3.1.3. Integração com Outras Máquinas Linux/Unix
3.2. Como Migrar
3.2.1. Pesquisar e Identificar Serviços
3.2.2. Fazendo Backup da Configuração
3.2.3. Assumindo um servidor Debian existente
3.2.4. Instalando o Debian
3.2.5. Instalando e Configurando os Serviços Selecionados
Qualquer revisão de sistema computacional deve levar em consideração o sistema existente. Isto permite a reutilização de recursos disponíveis o máximo possível e garante a interoperabilidade de vários elementos que compreendem o sistema. Este estudo irá introduzir uma estrutura genérica a ser seguida em qualquer migração de uma infraestrutura computacional para Linux.

3.1. Coexistência em Ambientes Heterogêneos

Debian integra muito bem em todos os tipos de ambientes existentes e lida muito bem com qualquer outro sistema operacional. Esta quase-perfeita harmonia vem de uma pressão de mercado que demanda que os editores de software desenvolvam programas que sigam padrões. Conformidades com padrões permitem que administradores troquem programas: clientes ou servidores, sendo livres ou não.

3.1.1. Integração com Máquinas Windows

O suporte a SMB/CIFS do Samba garante excelente comunicação em um contexto Windows. Ele compartilha arquivos e filas de impressão com clientes Windows e inclui software que permite a uma máquina Linux utilizar recursos disponíveis em um servidor Windows.

3.1.2. Integração com máquinas OS X

máquinas OS X fornecem, e podem usar, serviços de rede tais como servidores de arquivos e compartilhamento de impressão. Estes serviços são publicados na rede local, o que possibilita que outras máquinas descubram e usem tais serviços sem qualquer configuração manual, usando a implementação Bonjour da suite de protocolos zeroconf. O Debian inclui outra implementação, chamada Avahi, que fornece a mesma funcionalidade.
In the other direction, the Netatalk daemon can be used to provide file servers to OS X machines on the network. It implements the AFP (AppleShare) protocol as well as the required notifications so that the servers can be automatically discovered by the OS X clients.
Antigas redes Mac OS (antes do OS X) usavam um protocolo diferente chamado Appletalk. Para ambientes envolvendo máquinas usando este protocolo, o Netatalk também fornece o protocolo AppleTalk (na verdade, ele começou como uma reimplementação deste protocolo). Ele garante a operação do servidor de arquivos e filas de impressão, bem como um servidor de hora (sincronização de relógio). Suas funções de roteador permitem interconexão com redes Appletalk.

3.1.3. Integração com Outras Máquinas Linux/Unix

Finalmente, NFS e NIS, ambos incluídos, garantem interação com sistemas Unix. NFS garante funcionalidade como servidor de arquivos, enquanto NIS cria diretórios de usuários. A camada de impressão BSD, usada por muitos sistemas Unix, também permite o compartilhamento de filas de impressão.
Coexistência do Debian com OS X, Windows e sistemas Unix

Figura 3.1. Coexistência do Debian com OS X, Windows e sistemas Unix